Titulares não treinam desde sábado e pedem paciência com Ney Franco

Na semana passada, a sua primeira no São Paulo, Ney Franco abriu mão do time que venceu dois jogos sob o comando interino do coordenador técnico Milton Cruz e apostou novamente na base de Emerson Leão. Duas partidas depois, nenhum triunfo nem tempo para treinar, já que os titulares não pisam no campo do CT da Barra Funda desde sábado. E o elenco insiste nos pedidos de paciência.

“Ele não trabalhou nada ainda, não pôde trabalhar. Infelizmente, é um jogo atrás do outro, choveu…”, disse Luis Fabiano, em defesa de Ney Franco, que se apresentou pedindo cobranças por títulos já nesta temporada e, depois disso, empatou com um desfalcado Palmeiras que teve um expulso no início do segundo tempo – Denis ainda pegou um pênalti – e perdeu do Vasco no Morumbi.

“Não tivemos muito tempo de trabalhar com o Ney. Agora precisamos ter tranquilidade e fazer o que ele vai nos passar. Até porque teremos dois dias para treinar antes de entrarmos em campo no domingo”, argumentou Rafael Toloi, que chegou ao clube junto com o novo chefe e tem esperança de nova realidade a partir do duelo contra o Figueirense, em Florianópolis.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Técnico pediu cobrança por títulos e teve uma semana só para treinar antes de estrear, mas ainda não venceu

A dificuldade, porém, está na assimilação dos trabalhos do novo técnico. E tempo inicial ele teve, já que o clube não jogou em sua primeira semana. Após o empate com o Palmeiras, no domingo, os titulares só fizeram regeneração muscular e, na terça-feira, os exercícios no campo foram cancelados por conta de fortes chuvas. Na quarta-feira, a equipe perdeu do Vasco e, no dia seguinte, nova preocupação com a recuperação física dos titulares.

 

A expectativa é de que nas atividades marcadas só para as manhãs desta sexta-feira e de sábado a equipe se reencontre. “Não adianta se desesperar agora. É trabalhar, levantar a cabeça, e jogo a jogo tentar melhorar. Precisamos tentar reunir forças para o próximo jogo. O campeonato não para”, falou Luis Fabiano.

A preocupação, como nos tempos de Leão, é com a marcação no meio-campo, e o time, que já não conta com os machucados Fabrício e Wellington, não terá Rodrigo Caio, suspenso. Caberá novamente a Denílson, originalmente um segundo volante, proteger a cabeça de área, a não ser que Ney Franco aposte em iniciar o jogo com três zagueiros.

“Principalmente na marcação, o grupo todo precisa se ajustar. Não podemos dar espaço. Com três ou dois zagueiros, se conversarmos e nos orientarmos bem, não vai ter espaço”, opinou Rafael Toloi. “Podemos jogar muito mais. Nossa equipe tem muita qualidade e é muito técnica. Quando impomos nosso ritmo com posse de bola, fica difícil nos marcar”, continuou o zagueiro.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*