Ney Franco minimiza mudanças em revés, mas admite cautela com novatos

Ney Franco foi contratado pelo São Paulo, entre outros motivos, pela sua experiência com as revelações da base. No jogo contra o Vasco, o técnico mostrou sinais desse apreço pelos jovens ao escalar como titulares Rodrigo Caio e João Schmidt. Mas a jornada mal sucedida da dupla colaborou para o treinador adotar uma postura mais cautelosa quanto ao aproveitamento dos garotos nos próximos jogos do Tricolor.

Na quinta-feira, o técnico fez questão de dizer que a base não pode servir de salvação para o São Paulo na temporada. “Se a base é a solução, temos que testar tudo. Nenhum time que quer ganhar o Brasileiro pode só ter jogadores da base. Estamos em momento de testes. É mais um jogo para termos ciência maior dos jogadores que temos, principalmente os que treinam no profissional”, afirmou.

Rodrigo Caio e João Schmidt, ao lado de Ademilson e Rafinha, são as quatro principais apostas do presidente Juvenal Juvêncio da atual geração criada no CT de Cotia, local de treinamento para a base tido como a ‘menina dos olhos’ da sua gestão.

Mas Rodrigo Caio foi expulso de maneira infantil – como ele mesmo admitiu – no início do segundo tempo e prejudicou o São Paulo na derrota contra o Vasco. João Schmidt sentiu o ritmo e teve que ser substituído no intervalo, segundo contou Ney Franco na coletiva pós-jogo.

Segundo dados do Datafolha, com Rodrigo Caio e João Schmidt no meio campo, o São Paulo desarmou menos que a sua média no Brasileirão (84 contra 101,9). No primeiro tempo, João foi pouco acionado (seis bolas recebidas), mas acertou a maioria dos passes que deu (11 de 12, ou 91,6%). Nos 58min que ficou em campo, Rodrigo também teve bom aproveitamento no mesmo quesito (25 acertos em 27 tentativas, ou 92,6%). Ambos superaram a média do antigo titular Casemiro (81%), mas não conseguiram ultrapassar Denilson (92,6%), que é titular absoluto.

Ney Franco justificou que escolheu Rodrigo Caio por precisar de um volante mais marcador. Como as três opções mais viáveis não tinham condição de jogo (Fabrício e Wellington estão no departamento médico, e Denilson estava suspenso), ele optou pelo jovem, apesar de ter a possibilidade de escalar Casemiro no setor, como fazia o antecessor Emerson Leão.

A confiança do treinador no futebol de João Schmidt fez com que ele ganhasse a posição na qual o mesmo Casemiro também poderia ser aproveitado. Além disso, Ney Franco preferiu deixar Maicon no banco e apostar no novato, com quem trabalhou na seleção brasileira sub-20.

Após a derrota por 1 a 0 para o Vasco consumada, o técnico são-paulino bateu muito na tecla da falta de experiência dos garotos que entraram em campo, principalmente no caso de Rodrigo Caio. Com o retorno de Denilson, ele voltará para o banco. A tendência é que ocorra o mesmo com João Schmidt, neste domingo, contra o Figueirense. O jogo, marcado para as 16h em Florianópolis.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*