Thiago Mendes, o ‘fôlego extra’ nesta reta final

Na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro de 2015, no Morumbi, o Tricolor precisava de uma vitória diante do Figueirense para seguir na briga por uma vaga na Libertadores da América deste ano. Já nos acréscimos da partida, o empate por 2 a 2 colocava o São Paulo em uma situação delicada na disputa. Então, no último lance da partida, coube ao volante Thiago Mendes a missão de balançar as redes na heroica virada sobre os catarinenses por 3 a 2.

Em chute rasteiro da entrada da área, o meio-campista marcou o gol que explodiu a torcida nas arquibancadas e encaminhou a classificação da equipe são-paulina para a competição continental de 2016. E com o mesmo poder decisivo da temporada passada, o jogador tem feito a diferença nesta reta final do Campeonato Brasileiro. O atleta, que deixou a sua marca diante de Sport (1 x 1) e Fluminense (2 x 1), não sente os efeitos após uma desgastante temporada e surge como o ‘fôlego extra’ do Tricolor.

No duelo contra a Ponte Preta (2 x 1) no último final de semana, o jogador apareceu bem na grande área e participou do gol marcado por David Neres na segunda etapa: Thiago Mendes recebeu passe de Chavez e carimbou a trave. No rebote, o jovem atacante revelado no CFA mandou para o fundo das redes. De acordo com o preparador físico Zé Mário Campeiz, a composição física do meio-campista é fundamental para que Thiago Mendes cresça neste momento decisivo da temporada.

“O crescimento do Thiago Mendes na reta final da temporada passa por vários fatores. E um deles é o componente físico. O Thiago tem privilegiado neste aspecto, porque é rápido, forte e tem boa condição técnica também. E isso faz com que ele não sinta tanto o desgaste. A composição física dele ajuda bastante. Claro que a parte tática também é importante, além da confiança, mas ele é privilegiado no aspecto físico”, avaliou o membro da comissão técnica.

Desde sua estreia, em 2015, o camisa 24 atuou em 113 das 136 partidas do Tricolor (83%). Somando os jogos em que foi reserva (13), ele ficou à disposição em 93% dos duelos. Em 2016, o meio-campista disputou 57 dos 65 jogos do clube. “O trabalho de prevenção da comissão técnica me ajuda bastante. A estrutura do clube possibilita que eu tenha condições de permanecer mais tempo em campo. Me alimento bem, descanso e sigo as recomendações dos preparadores e fisiologistas. Nesta reta final de temporada, trabalho bastante para não sentir tanto o desgaste”, afirmou o atleta.

E para manter o volante em alta, assim como todo o elenco, a comissão técnica segue uma programação diferente nesta reta final de ano. “Temos mais preocupação com as lesões. Então o objetivo do trabalho é a manutenção, sem cargas excessivas. Ativamos a musculatura, principalmente dos membros inferiores, e fazemos um trabalho de prevenção. Queremos contar com todos os atletas bem fisicamente neste momento”, finalizou Zé Mário Campeiz.

 

Fonte: Site Oficial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*