Técnico gringo, convite de seleção… veja comparação entre Osorio e Bauza

A possibilidade de perder seu técnico para uma seleção não é nova para o São Paulo. O convite da Argentina para conversar com Edgardo Bauza poderá fazer o clube reviver situação de menos de um ano atrás: em outubro, Juan Carlos Osorio trocou o Tricolor pela seleção do México.

O São Paulo deu aval para a viagem de Bauza à Argentina, onde ele vai se reunir com a AFA nesta sexta-feira para discutir a possibilidade de assumir o cargo. Outros treinadores também serão consultados, como Miguel Ángel Russo. Ou seja: é uma espécie de entrevista de emprego.

Na véspera da semifinal da Taça Libertadores com o Atlético Nacional, no dia 5 de julho, o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, admitiu ao GloboEsporte.com que seria difícil manter o técnico em caso de um convite da seleção argentina.

O caso de Bauza lembra o de Osorio. Mas há diferenças importantes. Veja abaixo a comparação:

TREINADOR X GESTÃO

Juan Carlos Osorio São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)Juan Carlos Osorio se despediu do São Paulo sem citar nome de Aidar (Foto: Marcos Ribolli)

Osorio deixou o São Paulo rachado com o ex-presidente Carlos Miguel Aidar. O colombiano não confiava no dirigente, que renunciou dias depois sob denúncias de corrupção. Aidar se intrometia no trabalho do técnico e chegou a mandar mensagem criticando seu rodízio nas escalações (“Pare de inventar”).

Bauza, por sua vez, está em sintonia com a gestão do São Paulo. Ele é visto como um parceiro do clube. O treinador concordou em usar tecnologia no departamento de futebol, tornou real o aproveitamento dos garotos de Cotia no elenco profissional e deu uma identidade de jogo ao time. Esses pontos considerados fundamentais pela diretoria foram colocados em prática no dia a dia do São Paulo graças ao treinador.

O ponto de divergência se deu na contratação de reforços. Bauza mostrou insatisfação com as perdas do elenco (saíram Ganso, Calleri e Kardec).Ele fez cobrança pública por novos jogadores e condicionou sua permanência à chegada de novos atletas.

E é aí que mora a maior ironia: na mesma semana em que o São Paulo atendeu aos pedidos de Bauza, o técnico recebeu o chamado da Argentina, e seu futuro é incerto.

SELEÇÃO DE SEU PAÍS

Osorio nunca escondeu o sonho de dirigir uma seleção em uma Copa do Mundo. Quando teve a oportunidade, juntou o péssimo ambiente no São Paulo ao antigo desejo e aceitou o convite mexicano.

Bauza, por outro lado, recusou propostas das seleções do Paraguai e da Costa Rica, segundo Leco. Agora, porém, o chamado é do seu país. A possibilidade de assumir a Argentina mexe com o treinador, e o São Paulo sabe que não há como competir com isso.

SEM CRISE, NEM MATA-MATA À VISTA

Osorio saiu do São Paulo em meio ao caos político causado pelas denuncias contra Aidar. Ele se despediu no dia 7 de outubro, o ex-presidente renunciou no dia 13, e o Tricolor tinha as semifinais de Copa do Brasil contra o Santos, nos dias 21 e 28 do mesmo mês.

Com Doriva, o técnico substituto, o time foi eliminado após duas derrotas: 3 a 1 no Morumbi, e 3 a 1 na Vila Belmiro, partida que marcou a despedida de Rogério Ceni de jogos oficiais. O goleiro sofreu uma lesão no ligamento do tornozelo direito. Depois, ganhou festa de despedida no Morumbi lotado.

Agora, o Tricolor não tem jogos de caráter decisivo pela frente e está apaziguado politicamente. Eliminado nas semifinais da Taça Libertadores, o time é o nono colocado do Brasileirão, com 22 pontos. A única turbulência recente se deu com o rompimento da diretoria com as torcidas organizadas, atitude motivada pelo episódio de violência depois da primeira semi contra o Atlético Nacional, no Morumbi.

E AGORA?

Gilberto Pintado São Paulo (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)Pintado conversa com Gilberto: auxiliar faz parte da comissão fixa (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

O substituto de Osorio foi Doriva, última escolha de Aidar antes de deixar a presidência. O técnico foi confirmado no dia 7 de outubro e demitido praticamente um mês depois, no dia 9 de novembro.

Milton Cruz, então, assumiu o time na reta final do Brasileiro e conseguiu a vaga no G-4. Profissional com 22 anos de clube e acostumado à função de tapar buracos dos treinadores na história recente, ele foi demitido no fim de março.

Agora, caso Bauza acerte com a seleção da Argentina, o São Paulo teria duas opções imediatas: Pintado, que trabalha na comissão técnica, ou André Jardine, técnico do sub-20, antes de decidir se contrataria um novo comandante para o cargo.

 

Fonte: Globo Esporte

Um comentário em “Técnico gringo, convite de seleção… veja comparação entre Osorio e Bauza

  1. Se Bauza ficar vai ser muito bom para ele realmente mostrar o seu trabalho, uma vez que está montando o time segundo suas sugestões.

    Se Bauza não ficar, boa sorte para el na seleção argentina e o SPFC vai saber encontrar um técnico a altura e com um perfil parecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.