Tabelas, recuos e gol “sem querer”: repertório de escanteios do São Paulo

A vitória por 5 a 2 sobre a Ponte Preta mostrou novidades nos escanteios ofensivos do São Paulo. Teve cobrança para trás, quase na intermediária, em direção à entrada da área, tabelas, triangulações e até um gol marcado no improviso, no cruzamento de Luiz Araújo para Gilberto.

As jogadas ensaiadas são treinadas em atividades fechadas no CT da Barra Funda. A imprensa não tem acesso a trabalhos táticos e de bolas paradas, mas, aos poucos, eles se revelam nas partidas. No último domingo, o Tricolor teve oito escanteios a favor, seis no primeiro tempo e dois no segundo. A única cobrança convencional foi a de Shaylon, já nos instantes finais.

– É uma das coisas que mais me seduzem, a bola parada. Eu gosto muito de trabalhar, estudar, me dedico bastante, é uma pena não ter tempo. Precisaria de no mínimo quatro dias para crescer com treinamentos, fizemos isso na pré-temporada, agora olhamos e corrigimos com vídeos – afirmou o técnico Rogério Ceni.

O técnico também esbanjou sinceridade ao dizer que o gol de Gilberto, após cobrança de Luiz Araújo, não foi treinado. O atacante tentou duas jogadas curtas, mas a marcação da Ponte Preta, já esperta com os seis cruzamentos anteriores, acompanhou os são-paulinos que receberiam a bola. Luiz Araújo, então, bateu uma bola baixa, rente ao gol, que encontrou o centroavante.

– O treinador faz um monte de jogada boa e a errada é que dá certo (risos). Tentamos variações apesar de termos um time alto, mas o gol no escanteio direto foi um pouquinho de sorte, talvez no quique da bola. O posicionamento do Gilberto sim, ele se afastou para a posição correta. Tentamos a cada dia criar uma jogada diferente – explicou o treinador.

Rogério Ceni São Paulo x Ponte Preta (Foto: Marcos Ribolli)Rogério Ceni orienta time do São Paulo na beira do gramado (Foto: Marcos Ribolli)

As jogadas mais rebuscadas ainda não tiveram êxito total. No primeiro tempo, Cueva lançou na meia-lua e Luiz Araújo cabeceou para o meio, deixando o lateral-direito Bruno com água na boca atrás para chutar de primeira. A defesa afastou. Na etapa final, Araújo é que achou Thiago Mendes na entrada da área, mas o volante não conseguiu dominar. Domínio de bola também foi o problema de Bruno, que acabou atrasando a jogada.

Além do gol, outras duas chances foram criadas em cobranças de escanteios. Gilberto cabeceou para fora, e pouco depois Rodrigo Caio finalizou e Nino Paraíba afastou em cima da linha.

Nesta terça-feira, em treino fechado à imprensa, Rogério Ceni poderá ensaiar novas jogadas para o clássico de quarta-feira contra o Santos, na Vila Belmiro.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*