Souza usa lições de título europeu por “obsessão” de ganhar a Libertadores

Um dos principais requisitos para vencer a Libertadores é ter um elenco experiente, com jogadores acostumados a serem campeões. Um dos pilares do São Paulo, o volante Souza tem na bagagem não só a disputa de um grande torneio internacional, mas também uma taça importante. Poucos se lembram, mas o atleta venceu a Liga Europa com o Porto, de Portugal, em 2011.

O camisa 5 do Tricolor fazia parte de um time que tinha craques como James Rodriguez e Hulk que, na final, venceu o Braga, do mesmo país. Agora, ele quer usar o aprendizado que teve naquela conquista para levar a equipe paulista ao título da Libertadores, que não vem desde 2005.

– Naquele ano com o Porto montamos um time que foi campeão de quatro dos cinco torneios que disputou, era muito compacto, tinha grandes jogadores. Hoje temos uma equipe muito qualificada, com inúmeros jogadores que podem fazer a diferença também. Mas posso trazer que para ser campeão tem de ser um time muito unido, como era lá. Sempre que entrava eu ia bem, fiz gol… Aqui tem de ser assim, quem não estiver jogando tem de dar o melhor, porque quando aparecer a chance vai poder salvar nosso time. E temos de ter sorte também, além de muito trabalho – analisou ele, em entrevista o GloboEsporte.com.

Do título europeu, ficaram as lembranças e as lições. Hoje, Souza se define como uma pessoa que defende o São Paulo de todas as formas, e já provou isso dentro e fora de campo, com declarações e até discussões nas redes sociais, tudo em nome do Tricolor. Na visão dele, essa deve ser a postura para ganhar a Libertadores, inclusive com o atual campeão como exemplo.

– O espírito tem de ser esse. Vimos o San Lorenzo ganhar com uma equipe limitada. Não era um time badalado e tirou Cruzeiro, Grêmio, e foi campeão. Eles tiveram muita vontade. Era um time muito aguerrido, todos se doavam dentro de campo e é o que temos de fazer. Não dá só para jogar em campo, tem de ter vontade. Na quarta-feira a vontade pode até ser maior que a qualidade, porque vai ser jogo de muito pegada. Temos de colocar o coração para fora e dar nosso melhor. Se um afrouxar, compromete o time todo – declarou.

Souza São Paulo (Foto: Fabricio Crepaldi)Souza, no CT da Barra Funda: jogador busca seu primeiro título pelo São Paulo (Foto: Fabricio Crepaldi)

Mesmo com a Liga Europa no currículo, o volante do Tricolor sonha com a conquista da Libertadores, a qual ele define como uma obsessão. Até hoje, só disputou uma vez, com o Grêmio, em 2013. Mas hoje se vê mais preparado para brilhar do que naquela oportunidade, assim como considera o São Paulo em condições de ir longe.

– A Libertadores é tanto obsessão como um sonho. Pode juntar os dois. É uma obsessão de todos os jogadores. Ela dá outro patamar, pode disputar o Mundial no fim do ano contra times que você não imaginava enfrentar estando no Brasil, e abre as portas lá fora. Hoje eu me encontro melhor como jogador, mais experiente, com uma equipe bem mais montada que aquela (do Grêmio). Estamos bem preparados, vamos lutar pelo título – disse.

A esperança do jogador no título é real. O primeiro passo para chegar até ele será nesta quarta-feira, no clássico contra o Corinthians, fora de casa. Souza está confirmado como titular. Com tudo aquilo que aprendeu na Europa na mente, com a tradicional dedicação em campo e com um objetivo bem definido: erguer mais uma taça, dessa vez a principal da América do Sul, a sua primeira pelo São Paulo.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*