São Paulo volta a vencer e se aproxima do G3

Luis Fabiano estava ansioso para marcar um gol para a sua terceira filha, recém-nascida. Ele driblou Márcio, mas não fez. Tentou cabeçada, mas o camisa 1 pegou. Até pênalti ele sofreu, mas perdeu. Contudo, o cenário pessoal do artilheiro, que costuma decidir os jogos, não exibiu o retrato da partida. ‘Comendo’ pelas laterais para chegar ao G2, meta de Ney Franco, o São Paulo contou com os gols de Paulo Miranda e Osvaldo para vencer o Atlético-GO por 2 a 0, nesta quinta-feira, no estádio do Morumbi, pela 31ª rodada do Brasileiro.

Voando pela lateral, como em sua comemoração, Paulo Miranda mostrou oportunismo de um legítimo 9 para marcar. Já Osvaldo, à la Cristiano Osvaldo, fez um gol de deixar o português boquiaberto. O Atlético-GO, bastante preso às fragilidades, pouco produziu. Com isso, o Tricolor chegou aos 55 pontos, três a menos que o Grêmio, o quarto colocado. Os goianos continuam segurando a lanterna, com 23 pontos. Na próxima rodada, o São Paulo pega o Flamengo, no Engenhão, às 16h deste domingo. Já o Rubro-negro recebe o Sport, em jogos dos desesperados, no mesmo dia, só que às 18h30.

COMEU PELAS BEIRADAS!

O clima estava agradável. A torcida foi em bom número ao Morumbi. E os jogadores do São Paulo retribuíram. Com o habitual 4-2-3-1 que rendeu ao time seis vitórias nos últimos oitos jogos, a equipe do Morumbi procurou o ataque desde o primeiro minuto. Preocupado com as investidas, o técnico Artur Neto congestionou o seu meio de campo com cinco atletas e optou por fazer uma marcação por zona nas principais estrelas do adversário.

Luis Fabiano, o maior artilheiro da História do clube em Brasileiro, com 83 gols, empatado com Serginho Chulapa, queria de qualquer jeito se isolar no ranking. Bastante municiado, recebeu passes de frente para Márcio, arriscou sem o goleiro na jogada, driblou…mas pecou na finalização. A cada erro, aumentava a lamentação do atacante e a torcida ficou no ‘UHHH’.

Marcando os principais jogadores do São Paulo, o Atlético-GO deu muito espaço para o restante do time. Paulo Miranda subiu uma vez, mas, ao invés de arriscar o chute, tocou. Na segundo oportunidade, o camisa 13 não titubeou e, bem posicionado, só teve o trabalho de empurrar para o fundo do gol e ‘abanar as asas’, como fez em sua comemoração, com os braços abertos e movimento para cima e para baixo. Na início do jogada, Jadson estava em posição duvidosa.

Só assistindo ao jogo, os goianienses pouco agrediam. Mahatma Gandhi, o 10 do Rubro-Negro, xará do pacifista indiano que pregava o princípio da não agressão, levou a pé da letra os ensinamentos e pouco articulou. Bom para o Tricolor. Em uma bela jogada individual de Osvaldo, o camisa 17 se desvencilhou da marcação com um drible seco, mandou para o gol e fez a torcida explodir novamente. Com o tento, o jogo se encaminhou sem problemas para o final do primeiro tempo.

CADENCIOU

Na etapa final, como no jogo diante do Figueirense, o São Paulo esperou as ações do Atlético-GO e jogou nos contra-ataques. Com isso, os goianos foram para cima, mas sem contundência. Descalibrados, os chutes não tomaram a direção do gol, mantendo a eficiência da defesa.

Já o Tricolor cozinhou o jogo e teve boas chances de aumentar o marcador com Lucas, que desequilibrado acertou uma bola na trave e, outra oportunidade em chute de Jadson. Sentindo dores na lombar, em falta sofrida, e após um período na Seleção Brasileira, o camisa 7 foi substituído. Em seu lugar, entrou Douglas, lateral-direito improvisado no ataque. Por conta da boa fase de Paulo Miranda, o camisa 23 tem buscado seu espaço em outra posição. Aliás, o momento é tão bom do beque que, em um lance despretensioso, Douglas deixou o próprio xerife cobrar lateral.

Luis Fabiano, que buscou o gol para a sua terceira filha, não teve o capricho para marcar de pênalti, sofrido por ele mesmo. Ainda empatado com Serginho Chulapa, ele aguarda o jogo contra o Flamengo para ultrapassá-lo. Com isso, o Tricolor chegou a mais uma vitória, galgando o G3 e, enfim, o G2, para chegar à próxima Libertadores.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 x 0 ATLÉTICO-GO

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data/ hora: 18/10/2012 – 21h
Árbitro: Marcio Chagas da Silva (RS)
Assistentes: Lilian da Silva Fernandes Bruno (RJ) e Marcelo Bertanha Barison (RS)
Renda e Público: R$ 480.052,00 / 27.098 pagantes

Cartões Amarelos: Ricardo Bueno (ATL)
Cartões Vermelhos: –

Gols: Paulo Miranda, aos 28’/1ºT (1-0); Osvaldo, aos 38’/1ºT (2-0)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Denilson, Jadson; Lucas (Douglas – 18’/2ºT), Osvaldo (Cícero – 40’/2ºT) e Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco.

ATLÉTICO-GO: Márcio; Adriano, Gustavo, Diego Giaretta e Eron (Felipe – Intervalo); Carlos, Dodó, Pituca e Mahatma Gandhi; Luciano (Ernandes – 13’/2ºT) e Ricardo Bueno (Patric – 29/2ºT). Técnico: Artur Neto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*