São Paulo segue atrás de laterais e terá tempo para se reorganizar

Diretoria e comissão técnica não estão satisfeitas com o elenco do São Paulo e alguns ajustes vão ocorrer. As duas semanas sem jogos até o início do Campeonato Brasileiro servirão para traçar e executar metas. E elas passam pela chegada e saídas de atletas.

A lateral direita segue como uma das prioridades. Ney Franco até já admitiu publicamente a necessidade de um jogador de ofício para o setor. O clube sondou Diego Macedo, do Bragantino, mas, por enquanto, não manteve as conversas. Outro que despertou interesse foi Cicinho, mas a Ponte Preta, pediu R$ 10 milhões pelo negócio.

Outras posições também estão sendo analisadas e a diretoria sempre busca manter sigilo para não atrapalhar nas negociações. O mercado do interior de São Paulo tem recebido atenção. Além dos dois laterais procurados, Silvinho chegou na semana passada, após se destacar pelo Penapolense.

O titular que tem a situação mais indefinida é Denilson. O volante está emprestado ao Tricolor pelo Arsenal (ING) até 30 de junho. Há interesse da diretoria em mantê-lo no grupo, mas o clube inglês ainda não se posicionou sobre as condições de um novo negócio. A vontade do jogador é de continuar no Brasil, mas Denilson sabe que pode ter feito diante do Galo, fora de casa, um de seus últimos jogos pelo São Paulo. O camisa 15 atuou os dois últimos anos, no clube que o revelou, por empréstimo.

O presidente Juvenal Juvêncio, em entrevista à ESPN Brasil, já demonstrou seu desapontamento com atletas que chegaram por um alto custo e não mostraram o mesmo rendimento que tinham em clubes anteriores. O lateral-esquerdo Cortez se encaixa nessa categoria.
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*