São Paulo recusa proposta do Manchester United por Lucas

O São Paulo recusou a proposta do Manchester United por Lucas. O clube inglêsofereceu € 33 milhões (R$ 82,4 milhões) pelo atacante, mas o Tricolor quer receber € 30 milhões livres (R$ 74,9 milhões), o que hoje não poderia ocorrer devido à divisão dos direitos econômicos do atleta.

O São Paulo tem direito a 80% do que arrecadar na transferência. Lucas e seus representantes ficam com 20%. A partir do dia 1º de agosto, por causa de uma cláusula salarial, o atleta terá um aumento de R$ 10 mil mensais (passará a ganhar R$ 130 mil) e mais uma fatia de 10% dos seus direitos. Se o valor oferecido pelo Manchester fosse aceito, o São Paulo ficaria com € 26,4 milhões (R$ 66 milhões). Faltam, portanto, quase R$ 9 milhões para o Tricolor ceder à proposta dos ingleses.

A oferta do Manchester United foi feita há 40 dias e levada ao clube do Morumbi pelo empresário Vagner Ribeiro. Ela tinha validade até a noite desta sexta-feira, e o clube inglês, pelo menos num primeiro instante, avisou que não irá fazer nova proposta.

Nos patamares atuais, para que o clube receba o que espera, a proposta teria de chegar perto dos € 40 milhões (R$ 98 milhões). Uma pessoa ligada ao Tricolor revelou que, se isso acontecer, não será possível segurar o atleta. No ano passado, o Anzhi (RUS), clube que já teve o lateral-esquerdo Roberto Carlos e hoje conta com o atacante Samuel Eto’o e o volante Jucilei, ex-Corinthians, ofereceu o valor acima, mas Lucas não quis ir. Ele só aceita trocar o São Paulo por algum time grande do futebol europeu.

Outro clube que teve proposta por Lucas recusada pela diretoria foi o Inter de Milão. Tanto o clube italiano quanto Manchester United vivem momentos de reformulação. O primeiro não conseguiu nem vaga para a Copa dos Campeões da Europa, dispensou seus atletas mais caros e procura uma grande contratação para acalmar seu torcedor. Já os Diabos Vermelhos, que viram o rival Manchester City conquistar o último Campeonato Inglês, querem montar uma equipe que seja capaz de reassumir a hegemonia no país e ainda brigar pelo principal título do continente.

No meio dessa disputa, Lucas está numa encruzilhada. Se antes falava que ficaria de qualquer maneira até a Copa de 2014, agora a situação é diferente. Em sua última entrevista antes de seguir para a seleção brasileira que disputará os Jogos Olímpicos de Londres, ele já disse que não seria possível garantir sua permanência. Uma coisa é certa: o atacante não vai abrir mão de sua porcentagem para facilitar uma negociação.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*