Em menos de uma semana, Ney Franco impõe estilo discreto e “europeu” ao São Paulo

Ney Franco assumiu o comando do São Paulo no início da semana e em poucos dias já mostrou que o cotidiano do clube sob seu comando será bem diferente dos tempos de Emerson Leão. O novo treinador são-paulino fará sua estreia na equipe no clássico contra o Palmeiras, no domingo, pela nona rodada do Brasileirão, na Arena Barueri.

Ney mostrou que as mudanças não serão apenas ao campo de jogo, mas também no seu estilo de trabalho, na forma com que irá lidar com os jogadores e até mesmo com a imprensa.

Nos dois primeiros dias, o treinador ficou mais distante dos jogadores, apenas acompanhando os trabalhos comandados pelo auxiliar Éder Bastos e os preparadores físicos Alexandre Rocha, Zé Mário e Sérgio Rocha. Uma forma de atuação mais próxima dos técnicos europeus, que delegam as funções e apenas gerenciam os trabalhos.

E esta é a primeira mudança. Leão é mais folclórico, gosta de aparecer e atuava de forma direta com os jogadores em praticamente todos os exercícios. Não foram poucas as vezes que ele foi visto cruzando a bola, com Piris e Rodrigo Caio como espectadores. O veterano treinador também era visto marcando Luis Fabiano em exercícios de finalização, ou então dando cambalhotas com os jogadores nos castigos que impunha. Outras vezes ele provocava Lucas ou Luis Fabiano em áreas próximas aos jornalistas.

Dentro de campo, os jogadores também puderam ver uma nova postura do comandante. Leão praticamente não fazia treinos táticos e focava os trabalhos nas finalizações e coletivos. Além disso, os treinos eram geralmente longos, passando das duas horas e meia.

Com Ney, tudo diferente. Os jogadores realizaram longos treinos táticos por dois dias seguidos e depois praticaram muitos exercícios de bola parada. Praticamente não voltaram a fazer finalizações.

O novo treinador também parou o trabalho diversas vezes para arrumar o posicionamento dos jogadores e passar novas instruções, algo que pouco se via com o antecessor. E também se mostrou um treinador estudioso ao comentar a forma que o Palmeiras iria entrar em campo, contrastando com o estilo “boleiro” de Leão. “Seja com o time titular ou com o reserva, sabemos como o Palmeiras joga. Conhecemos suas peças de reposição”, afirmou.

Outra mudança foi a relação com a imprensa. Após a coletiva da última sexta-feira, o treinador foi cercado por jornalistas e em uma folha de papel explicou como queria que seu meio de campo funcionasse. “É um losango, com o Casemiro pela direita e o Cicero na esquerda”, explicou o treinador antes de ser chamado por um dos assessores.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*