São Paulo põe pé na forma e tenta emplacar primeira trinca do ano

O São Paulo tem neste sábado uma ótima oportunidade de afastar a desconfiança da torcida e mostrar que as polêmicas da última semana estão no passado. A equipe vai a Campinas enfrentar a Ponte Preta, às 19h30, e pode atingir pela primeira vez no ano a marca de três vitórias seguidas, após bater Rio Claro (1 a 0) e Novorizontino (2 a 0), no Pacaembu.

Neste ano, a equipe teve outra chance de emendar três triunfos, mas caiu diante do Corinthians e iniciou a crise que seguiu nos dias seguintes. Até o clássico, o Tricolor estava invicto na temporada e tinha batido em sequência o Água Santa (4 a 0) e o César Vallejo-PER (2 a 0).

Um resultado positivo diante da Macaca, portanto, não deve iludir, até porque o foco é a Libertadores, mas é fundamental para dar tranquilidade. Pensando nisso, a equipe tentou ajustar os pontos em que se mostra mais deficiente e o técnico Edgardo Bauza fez alterações.

Diego Lugano está de volta. O zagueiro uruguaio treinou ao lado de Maicon e vai para o jogo após ser poupado na última rodada. Presente em todos os jogos da temporada até então, Rodrigo Caio ganhará descanso e ficará no banco. Com relação ao time que vinha sendo titular nos últimos jogos, outra mudança é a saída de Centurión. Wesley, apesar de a torcida querer Rogério, jogará aberto pela direita no meio de campo.

A expectativa do treinador argentino é de que o time não desperdice tantas oportunidades. Enquanto a defesa tem agradado, o ataque vai mal e os centroavantes do time, por exemplo, vivem jejum. O único que marcou gol e já está há cinco partidas sem balançar redes foi o argentino Calleri, que será titular hoje. Alan Kardec, que ficará no banco, e Kieza, nem relacionado, ainda não sabem o que é comemorar em 2016.

Lugano - Treino do São Paulo
Lugano está de volta ao time (Foto: Daniel Vorley/AGIF/Lancepress!)

Por isso, na sexta os jogadores de frente colocaram o pé na forma. A última parte do treino foi dedicada às finalizações. Calleri, Kardec e Rogério foram os que mais chutaram a gol. Também houve cobranças de pênalti e faltas. É hora do gol!

A semana foi marcada pela polêmica do pacto de silêncio que dividiu o grupo. Como protesto contra o atraso de direito de imagem, os jogadores decidiram não falar com a imprensa, mas Lugano, Kardec, Denis e Calleri deram declarações. Para o volante Hudson, a questão já foi resolvida e não atrapalha mais.

– As coisas já se resolveram, todo mundo se fala, está tranquilo, não tem rancor. O time vai melhorar.

Fonte: Lance

Um comentário em “São Paulo põe pé na forma e tenta emplacar primeira trinca do ano

  1. Apesar da bagunça em campo, o pretenso sistema tático do treinador é defensivo. Jogando desta maneira e com o time mal escalado; com Centu ou Wesley e, eventualmente, quem sabe, até com os dois juntos; o time todo, menos o centroavante, atrás da linha do meio campo, fazer gols já é um achado. Agora os atacantes precisam de parceria para balançar as redes e o sistema privilegia as bolas aéreas. Gols com a bola correndo é que são de responsabilidade dos atacantes, e isto, no SP, não existe. Dá dó ver o Kardec ou o Calleri correndo que nem bobos sozinhos contra as defesas adversárias. Gols só por sorte, depois de algum chutão ou bola rebatida mal pela defesa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*