São Paulo pega Náutico atrás de pontos perdidos para rivais direitos

O São Paulo tropeçou duas vezes seguidas noCampeonato Brasileiro e, por isso, distanciou-se seis pontos do grupo de classificação para a Copa Libertadores, já que perdeu para Fluminense e Grêmio, ambos concorrentes diretos. Para tentar se recuperar na tabela, a equipe encara o Náutico às 21h50 (de Brasília) desta quarta-feira, nos Aflitos.

A exemplo do time paulista, os pernambucanos vêm cambaleando. Após empate sem gols com o Internacional, foram derrotados pelo Flamengo. A volta ao Recife traz como lembrança a última vitória, três partidas atrás, diante do Santos. Foi nessa mesma rodada também o último resultado positivo do São Paulo, que na ocasião bateu o Sport.

Os dois rivais desta quarta-feira têm ainda outro ponto em comum a superar. Ambos foram derrotados por conta de erros defensivos. Na equipe tricolor, especificamente de jogadas aéreas. Ney Franco cobrou atenção de seus jogadores e os treinou rapidamente na véspera. Com pouco tempo para corrigir as falhas, o treinador contou com ajuda do goleiro Rogério Ceni para apontar o devido posicionamento na área.

Djalma Vassão/Gazeta Press

São Paulo sofreu duas derrotas nas últimas duas rodadas e agora, diante do Náutico, tenta se reabilitar na tabela

“Se fizer um levantamento, 75% dos gols no futebol, hoje em dia, saem de bola parada. O negócio (solução) é ter atenção no jogo. Cada um sabe o que tem que fazer. Não pode deixar o cara correr, e quem tiver que tirar a bola, tem que tirar a bola”, ensinou o meia-atacante Cícero, autor dos gols são-paulinos nas duas derrotas por 2 a 1.

 

Afora os vacilos dos homens de trás em momentos cruciais, o time não teve péssimas atuações, o que aumenta a confiança em um bom jogo fora de casa. “No geral, jogamos bem contra o Fluminense, foi equilibrado”, acrescentou Cícero, que, por conta do desfalque de Luis Fabiano, mais uma vez formará a dupla de frente com Ademilson.

A única novidade na formação, aliás, será Rafael Toloi. Suspenso na rodada passada, ele retoma posição que foi preenchida provisoriamente pelo volante Casemiro no trio de zaga, que tem ainda João Filipe e Rhodolfo. Será, portanto, a mesma retaguarda vencida pelo Grêmio. A diferença esperada pela comissão técnica é quanto ao nível de concentração nas bolas altas.

O sistema defensivo do Náutico também entra em campo sob pressão. No revés para o Flamengo, o zagueiro Ronaldo Alves perdeu bola ao sair jogando e viu o adversário balançar a rede. Esse erro, somado a outras desatenções suas ao longo da competição nacional, podem custar sua titularidade – o recém-chegado Alemão concorre com ele por uma vaga ao lado de Marlon.

“Temos que tirar os aspectos positivos das críticas, pois, se elas são duras, é porque erramos. Aqui todo mundo se doa e, em todo jogo, a gente conversa para corrigir esses erros”, disse Marlon, a respeito do momento que vive o setor.

No restante da formação, Alexandre Gallo deve sacar o meia Cleverson para a entrada de Martínez, que cumpriu suspensão e volta a ficar à disposição. A ideia é encaixar um time ideal para deixar a segunda metade da tabela de classificação aproveitando a sequência de quatro compromissos na capital pernambucana: São Paulo, Bahia, Sport (na Ilha do Retiro) e Figueirense.

 

Arte GE.Net

FICHA TÉCNICA
NÁUTICO X SÃO PAULO

 

Local: Estádio dos Aflitos, no Recife (PE)
Data: 15 de agosto de 2012, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: José de Caldas Souza (TO)
Assistentes: Carlos Manzolillo (TO) e Lucio da Silva de Mattos (PA)

NÁUTICO: Gideão, Patric, Marlon, Ronaldo Alves (Alemão) e Douglas Santos; Elicarlos, Martinez, Souza e Rhayner; Kieza e Araújo
Técnico: Alexandre Gallo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; João Filipe, Rafael Toloi e Rhodolfo; Douglas; Denilson, Maicon, Jadson e Cortez; Cícero e Ademilson
Técnico: Ney Franco

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*