São Paulo encara novamente o ‘fantasma’ da semifinal do Paulistão

O São Paulo está acostumado a decisões. Não à toa, coleciona títulos dos mais variados, como seis brasileiros, três Libertadores, três Mundiais… Mas a taça que o Tricolor mais levantou na história é justamente a que há mais tempo não conquista: a do Campeonato Paulista. Culpa de um “fantasma”.

A assombração atende pelo nome de semifinal. Campeão em 2005, antes de engatar as conquistas sul-americana e Mundial, além dos três brasileiros (2006, 2007 e 2008), o São Paulo foi vice-campeão no ano seguinte, no sistema de pontos corridos, mas parou em todas as semis a partir de 2007. Todas!

No próximo domingo, contra o Corinthians, no estádio do Morumbi, às 16h, o Tricolor tem a sétima chance consecutiva de alcançar a final do estadual, conquistado 21 vezes pelo clube. A partida terá transmissão ao vivo da TV Globo.

Carrasco, spray de pimenta e Fenômeno

O pesadelo tricolor nas semifinais do Campeonato Paulista começou em tom azulado. Em 2007, depois de um empate por 1 a 1 no estádio do Pacaembu, o São Paulo foi goleado por 4 a 1 pelo São Caetano, no Morumbi. Douglas, atualmente no Corinthians, foi o maestro daquela vitória do time do ABC.

Apesar de ter anotado apenas um gol, o meia comandou o Azulão naquele sábado. Sua atuação lhe rendeu posição na vitrine que mais tarde o levaria ao Timão.

No ano seguinte, o encontro na semifinal foi com o Palmeiras, um freguês do São Paulo em mata-mata na última década. Mas daquela vez a história foi diferente. Muito embora o Tricolor tenha vencido no Morumbi por 2 a 1, os 2 a 0 em favor do Verdão no Palestra Itália deram a vaga ao futuro campeão.

Aquela partida, porém, teve uma polêmica durante o intervalo. Jogadores, comissão técnica e diretoria voltaram mais cedo para os segundo tempo alegando que não tinha como permanecer no vestiário de visitantes, porque haviam jogado spray de pimenta. Alguns estavam com olhos e gargantas irritados.

Em 2009, mais um rival histórico pela frente. Um adversário reforçado por Ronaldo Fenômeno. Com a camisa 9 do Alvinegro, o atacante comandou a vitória por 2 a 0 no segundo jogo, no Morumbi. Antes, no Pacaembu, o Timão já tinha vencido por 2 a 1, com um gol de Cristian a 22 segundos do apito final.

Uma polêmica, aliás, marcou a segunda partida. Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, então vice de futebol do Tricolor, insinuou que Ronaldo era um ex-jogador em atividade. Ronaldo não gostou, o chamou de “babaca” e respondeu ainda com uma forte arrancada para marcar um gol no São Paulo.

Santos, três vezes algoz

Nos três anos seguintes (2010, 2011 e 2012), o Tricolor sofreu nas mãos do Santos de Neymar. Sofreu também com Paulo Henrique Ganso, agora são-paulino. No primeiro dos encontros, o último com duas partidas na semifinal, derrota nos dois jogos: 3 a 2 no Morumbi e 3 a 0 na Vila Belmiro.

Em 2011, Elano e Ganso deram a vitória por 2 a 0 no estádio do Morumbi. Mas foi no ano passado que o São Paulo viu um show de Neymar. O principal jogador do futebol brasileiro fez os três gols do triunfo por 3 a 1, também na casa tricolor. Nas três ocasiões, o Peixe foi campeão paulista na sequência.

Quem passar de São Paulo e Corinthians, no domingo, encara na decisão do Campeonato Paulista o vencedor de Mogi Mirim e Santos, que será no sábado.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*