São Paulo empata no fim, mas se complica na briga pela Libertadores

São Paulo e Chapecoense fizeram um duelo emocionante na noite desta quinta–feira no Pacaembu. O empate por 2 a 2 foi decretado depois de a Chape abrir 2 a 0. Marcou uma reação do Tricolor, que não repetiu as atuações seguras das últimas partidas, mas teve forças, embalado pela torcida, para impedir um triunfo catarinense em seus domínios. O empate mantém as equipes distantes da zona do rebaixamento, e os paulistas com o sonho de Libertadores ainda vivo.

A Chape jogou melhor no primeiro tempo, se aproveitando de muitos erros do São Paulo. O Tricolor errou tanto que praticamente só Hernanes teve boa atuação, ao servir companheiros e tentar de fora da área. Marcos Guilherme desperdiçou três chances. O castigo veio com Reinaldo, aquele mesmo emprestado pelo clube paulista. No primeiro gol, ele colocou a bola na cabeça de Wellington Paulista, que contou com a negligência de Sidão e a desatenção de Rodrigo Caio para testar ao fundo das redes. Gol que premiou a Chape, mais organizada na partida naquele momento.

Muito por conta de Reinaldo, a principal válvula de escape do time. Ele avançava com facilidade. Levava a melhor no confronto com o garoto Araruna, mais uma vez improvisado na lateral no lugar de Militão. E outro, assim como Reinaldo um dia, a sofrer com a fúria dos tricolores. Araruna sentiu na carne. Numa jornada para esquecer, o garoto ficou inibido de ir ao ataque, abusou dos recuos e errou sempre que se arriscou. Irritada, parte da não perdoou e vaiou o garoto. Ele saiu no intervalo.

Mas o drama do São Paulo não passou. Logo no início, Shaylon, outro garoto da base, perdeu bola no ataque e, no contra-ataque, Marcos Guilherme cometeu pênalti em Apodi. Nem preciso mais dizer que Reinaldo converteu… O lateral-esquerdo ampliou para a Chape. Requintes de crueldade.

A reação do técnico Dorival Júnior foi apelar. Tirou Shaylon e colocou Gilberto. Depois, Petros, que virara lateral, para a entrada de Maicosuel. Era tudo ou nada. E foi tudo. Ou quase tudo. No primeiro lance, aos 26, Gilberto aproveitou falha do goleiro e empatou no rebote. Começava o abafa. A torcida empurrou o São Paulo. E deu resultado aos 37 minutos da etapa final, em cabeçada do zagueiro Arboleda após ótima cobrança de escanteio de Lucas Fernandes: 2 a 2 para delírio do Pacaembu.

Após o empate, a blitz diminuiu. A Chape se organizou e conseguiu manter o placar até o fim. O Tricolor não foi brilhante, mas valente. Agora, segue no meio da tabela, com 44 pontos, na 11ª colocação. Poderia ter sido melhor, não fosse por tantos erros e os golpes de Reinaldo, aquele tão contestado. A Chape, com ele, chegou a 41 pontos, cinco acima do Z4. Ufa!

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 2 CHAPECOENSE
Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data-Hora: 9/11/2017 – 20h
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Michael Correia (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ)
Público/renda: 33.226 pagantes/R$ 959.703,00
Cartões amarelos: Marcos Guilherme (SAO), Amaral e Luiz Antonio (CHA)
Cartões vermelhos: –
Gols: Wellington Paulista (26’/1ºT) (0-1), Reinaldo (14’/2ºT) (0-2), Gilberto (26’/2ºT) (1-2), Arboleda (37’/2ºT) (2-2)

Um comentário em “São Paulo empata no fim, mas se complica na briga pela Libertadores

  1. PRIMEIRO TEMPO,SHOW DE BOLA DE GILSON KLEINA NO DORIVAL JUNIOR,ESCALOU MEDONHAMENTE,SEGUNDO TEMPO GILSON KLEINA DEU UMA CANJA PARA O DORIVAL JUNIOR,RECUOU ATÉ O BANCO DE RESERVA,AÍ É MOLE,VERGONHA.LUCAS PRATTO EM 90 MINUTOS NÃO DEU NEM “MEIO CHUTE NO GOL”,DORIVAL ENTRA EM CAMPO PRATICAMENTE COM 10 JOGADORES.AGORA VAMOS DIVIDIR O SALÁRIO DO PRATTO POR CHUTE,CHUTE VC,QUANTO VALE.É MUITO PANDELÓ PARA O GRINGO !!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*