São Paulo define derrota com gol no final como “bobeada” e “castigo”

Se falou após perder do Fluminense na quinta-feira, no Rio de Janeiro, Rogério Ceni se recusou a dar declarações após nova derrota por 2 a 1, neste domingo, para o Grêmio, no Morumbi. Mais uma vez, o São Paulo sofreu dois gols na bola aérea, o último, que definiu o placar, aos 46 minutos do segundo tempo.

Com o capitão correndo  para os vestiários, calado e fugindo dos microfones, quem aceitou dar entrevistas foi curto para definir o tropeço que deixou o time a seis pontos da zona declassificação para a Libertadores – vaga considerada uma obrigação na visão da diretoria.

“Bobeamos. Não podíamos ter bobeado e levamos esse gol no finalzinho da partida”, lamentou João Filipe, que viu André Lima, aos 46 minutos do segundo tempo, desviar bola ajeitada em cabeçada de Kleber e balançar as redes sentenciando a derrota.

O primeiro gol do clube gaúcho também teve uma testada decisiva, feita por Werley depois de cobrança de escanteio de Marquinhos. “Não podia acontecer. Treinamos bastante, mas tomamos dois gols assim”, conformou-se Rhodolfo.

Contra o Fluminense, foram cabeçadas de Leandro Euzébio, aproveitando falha de Rogério Ceni, e Fred, beneficiado por jogada iniciada em passe errado de Cortez, que definiram a derrota de quinta-feira.

Neste domingo, ao perder de virada, os homens do setor defensivo acreditam que poderiam ter sido mais decisivos no primeiro tempo, quando foi para o intervalo vencendo por 1 a 0. “Tivemos oportunidade de matar o jogo e não matamos. Fomos castigados”, apontou Cícero.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*