São Paulo defende invencibilidade e encara velho conhecido de brasileiros

Ao estrear nessa quarta-feira contra o The Strongest, no estádio do Pacaembu, o São Paulo lutará para manter viva a marca de nunca ter perdido para times bolivianos em duelos como mandante. O Tricolor recebeu times do país vizinho em seus domínios em oito ocasiões, sendo seis vitórias e dois empates. Entre elas constam três triunfos diante do Strongest, obtidos em 2003, 2005 e 2013.

Na primeira vitória, conquistada nas quartas de final da Copa Sul-Americana de 2003, o São Paulo exerceu amplo domínio no Morumbi e saiu de campo com uma vitória por 3 a 1. Os gols foram marcados por Souza, duas vezes, e Diego Tardelli – o brasileiro Alex da Rosa descontou. Na ocasião da partida, o clube já contava com boa vantagem para avançar às semifinais, pois havia goleado os bolivianos por 4 a 1, em La Paz, no jogo de ida.

Em 2005, ano em que foi campeão da Libertadores e do Mundial, o São Paulo recebeu o The Strongest no último duelo da fase de grupos do torneio continental. Sem dificuldades, a equipe venceu por 3 a 0, com gols Edcarlos, Luizão e Grafite. No jogo anterior, em La Paz, um suado empate por 3 a 3 foi selado após Grafite balançar as redes aos 42 minutos do segundo tempo. Danilo e Luizão fizeram os outros dois para o Tricolor, enquanto Cuba, Sosa e Pablo Escobar anotaram os gols dos rivais.

O último encontro, ocorrido na fase de grupos da Libertadores de 2013, terminou com vitória por 2 a 1, sendo que Luis Fabiano e Osvaldo foram os autores dos gols – Barrera descontou. No jogo seguinte, em La Paz, os bolivianos devolveram o placar com gols de Cristal e Soliz. O ídolo Rogério Ceni fez o único dos tricolores na partida.

Aos 37 anos, Pablo Escobar volta ao Brasil ainda com o rótulo de goleador do Strongest (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)
Aos 37 anos, Pablo Escobar volta ao Brasil ainda com o rótulo de goleador do Strongest (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Base semelhante – Ao menos seis jogadores que se encontraram com o São Paulo há três anos têm chances de ir ao gramado do Pacaembu nessa edição da Libertadores. Daniel Vaca, Jair Torrico, Diego Bejarano, Walter Veizaga, Alejandro Chumacero e Pablo Escobar são cotados para a equipe titular do técnico Mauricio Soria. Entre eles, são conhecidos o goleiro Vaca e o meia Chumacero por suas aparições na seleção boliviana. Mas nenhum deles é tão famoso no futebol brasileiro quanto o veterano Pablo Escobar.

Aos 37 anos, Escobar se consagrou ídolo do Strongest ao se tornar o maior artilheiro da história do clube. Natural de Assunção, capital do Paraguai, ele se naturalizou boliviano e por anos defendeu a seleção nas competições do continente. Seu nome, idêntico ao do narcotraficante colombiano morto em 1993, também já esteve na língua dos torcedores brasileiros. Em 2008, o jogador deixou o Strongest para vestir as cores do Ipatinga, então na Série A do Campeonato Brasileiro. Foram outros três anos rodando por Santo André, Mirassol, Ponte Preta e Botafogo-SP até o retorno, em 2011, para o clube no qual é amado pela torcida.

 Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*