20 dias sem técnico. Veja como a diretoria se movimentou

Sem Muricy Ramalho desde o último dia 6 de abril, o São Paulo completa, neste domingo, 20 dias sem um treinador. De lá para cá, vários nomes já foram cogitados, de brasileiros a estrangeiros, sul-americanos a europeus e de apostas a consagrados.

Na sua última entrevista, no entanto, o presidente Carlos Miguel Aidar chegou a cogitar a efetivação de Milton Cruz. Mas a medida pode servir apenas para esperar pela contratação de Jorge Sampaoli, hoje no Chile.

Ainda de acordo com Aidar, Vanderlei Luxemburgo está completamente descartado, assim com Alejandro Sabella.

Confira como a diretoria do São Paulo se movimentou nesses 20 dias:

6 de abril – Adeus, Muricy
Com problemas de saúde, Muricy Ramalho achou melhor deixar o clube do Morumbi. A demissão foi o capítulo final de uma crise que teve na derrota por 3 a 0 para o Palmeiras o seu auge. Milton Cruz foi o escolhido para a sucessão.

7 de abril – Olá, Luxa
Vanderlei Luxemburgo começou a semana como o preferido do comando do departamento de futebol do São Paulo. Depois de dizer publicamente na segunda-feira (6) que preferia contratar um técnico desempregado, o vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro foi surpreendido com a informação de que Abel Braga, o sucessor indicado por Muricy Ramalho, tem um acordo prévio com um clube do Oriente Médio. A chegada de Luxa também serviria para que a limpa no departamento de futebol fosse feita.

8 de abril – Ainda dá, Abel!
Abel Braga aceitou na terça-feira (8) a proposta para ser técnico do São Paulo. Depois de recusar a oferta devido ao acerto prévio e milionário com o Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos, o treinador ouviu da família a preferência por permanecer no Brasil, recuou e respondeu positivamente ao time do Morumbi. O presidente do clube Carlos Miguel Aidar, no entanto, disse que preferia aguardar até sexta-feira (10) um posicionamento do argentino Alejandro Sabella.

9 de abril – E aí, Sabella?
A diretoria do São Paulo mantém contato permanente com Alejandro Sabella e Abel Braga neste momento e tenta definir o mais rápido possível quem será o sucessor de Muricy Ramalho. Segundo relatado pela própria diretoria, algumas das informações passadas pelo argentino são duvidosas.

11 de abril – Luxa em Standby
Para evitar crise de relacionamento, o São Paulo disse, publicamente, que não tinha mais interesse em Luxemburgo e que aguardaria Sabella até o próximo dia 17. A porta, no entanto, ficou bem longe de fechar para o hoje comandante flamenguista.

14 de abril – E aí, Sabella? (2)
O argentino sinalizou que toparia receber até menos do que recebia Muricy Ramalho, mas pediu mais tempo para a resposta. Só no dia 17 de abril o São Paulo saberia se o comandante da Argentina na Copa do Mundo toparia trabalhar no Morumbi.

18 de abril – Um tango argentino
Como na música típica dos hermanos, o sofrimento deu o tom dos últimos dias em que o São Paulo sonhou em contar com Sabella. Com dificuldades até para ser atendido, o clube percebeu que o argentino não gostou que seu nome estivesse envolvido, publicamente, em negociações com o time brasileiro.

20 de abril – Adiós, Hermano
Com o prazo estourado, o São Paulo praticamente abriu mão de contar com Alejandro Sabella. O argentino não atendia mais telefonema e mostrou muito mais interesse em conseguir treinar um clube na Europa. Luxemburgo passou a ser o favorito.

23 de abril – “Eu nem queria mesmo”
Depois de começar a ser pressionado por novos nomes, Aidar apostou que a vaga na segunda fase da Libertadores poderia ser um trunfo para conquistar Sabella. Mas o presidente são-paulino estava errado. Já no dia seguinte após a vitória diante do Corinthians, o presidente decidiu não dar mais chances para o argentino.

24 de abril – De um argentino para outro
A fixação da diretoria são-paulina deve ser ter um argentino no banco. Depois de desistir de Sabella, o São Paulo passou a falar em contratar Jorge Sampaoli, técnico do Chile. A ideia é esperar o fim da Copa América acabar para tentar a contratação. Publicamente, no entanto, Aidar vai manter a aposta em Milton Cruz.

 

Fone: Uol

2 comentários em “20 dias sem técnico. Veja como a diretoria se movimentou

  1. As vezes um outro ou outro colega do site se aborrece pelas minhas colocacoes,
    que as
    vezes ate’ soam contra nosso time.
    Pudera, se formos analisar com a raza’o absoluta,
    Travekos sa’o mesmo a maioria que faz parte dessa diretoria diamonica,
    e seus antecessores que manipulam o P…oder de uma forma incestuosa.
    Na’o possivel, na’o encontrarem alguem para dirigir nosso time em vinte dias,
    talvez para o perfil que querem, na’o, que e’ o perfil da incom…P…e…T….encia
    que se instalou por todo lado por aqui, na’o mesmo em nossos coraco’es.
    Digo mais, como na’o sa’o aproveitados ex atletas para trabalhar com
    nosso time como no caso desse infindavel e incom…P….e….T…ente do +
    o Serginho, foi nosso idolo, esta’ no de auxilar num rival,
    temos porem mais gente de gabarito e entendidos, mas temos de
    suportar nomes que se tornam asquerosos e incapacitados com o passar
    do tempo tipo adalberto, ataide, aidar, jj, gente oportunista e que na’o entendem
    absolutamente nada de futebol, entendem sim e muito de outras particularidades.
    Agora e’ clarissimo desde o comeco que ficariam com essa merda do +
    que ffiquem fassam bom provecho pois na’o ha mesmo como diferencia-los.

  2. Um show de trapalhadas praticadas pelos dois patetas Aidar e principalmente esse Antaide. Diz que me diz e tudo mais, um show de conversas furadas dos dois.
    O SPFC está nas mãos dessa dupla de trapalhões, e vamos afundando cada vez mais.
    Dez anos.sem ganhar um paulista, 3 anos sem ganhar um título sequer e 7 anos sem ganhar um título de expressão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*