São Paulo chega a 15 jogos sem marcar e já tem pior marca em nove anos

Luis Fabiano e Aloísio, vice-artilheiros do Campeonato Brasileiro de 2012 com 18 gols cada. Osvaldo, oito gols; Ademilson, destaque do mundial sub-17 e grande promessa. Boas referências não faltavam para o ataque são-paulino ser um dos melhores do país, mas a crise que afeta o clube também atingiu os homens responsáveis por estufar as redes.

Em 2013, o ataque passou em branco em 15 oportunidades. Mesmo estando no meio da temporada e ainda tendo pela frente a Eusébio Cup, Copa Suruga, restante do Brasileirão e a disputa da Copa Sul-Americana, o número, por temporada, já é o pior dos últimos nove anos.

Apenas em 2004, o número de jogos sem marcar foi pior que o atual. No ano em que teve Cuca e Leão como treinadores, o São Paulo não marcou em 16 partidas. Em 2005 e 2006, já com Muricy Ramalho, o melhor índice da década, com apenas nove jogos sem balançar as redes rivais.

O último gol de um atacante aconteceu no dia 14 de julho, na derrota por 3 a 2 para o Vitória, no Barradão. Na ocasião, Aloisio marcou aos nove minutos do primeiro tempo e abriu o placar. O segundo foi marcado por Rogério Ceni aos 35 da primeira etapa.

Desde então, o São Paulo não comemorou mais. São seis jogos consecutivos ou 595 minutos sem marcar um gol sequer.Contra o Milan, pela Copa Audi, o clube igualou a maior seca da história, ocorrida em 1936.

Na excursão que faz pela Europa, o São Paulo não pode contar com Luis Fabiano, contundido. Contra Bayern de Munique e Milan, Paulo Autori apostou em Osvaldo, Silvinho, Ademilson e Aloisio. Este último foi quem mais criou chances e levou perigo aos gols adversários.

“Foi muito bom, estava precisando de mais ritmo de jogo. Tenho certeza que isso me ajudará quando o São Paulo retornar ao Brasil. Acredito que posso ajudar mais e espero continuar a equipe e vencer novamente”, disse Aloisio.

O São Paulo volta a campo neste sábado contra o Benfica. Mais uma chance para acabar com a incômoda sequência de 14 jogos sem vitória.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.