São-paulino Rhodolfo tem até picanha especial em Curitiba

Desarmar adversários, fazer gols de cabeça e comemorar com salto mortal não são as únicas especialidades de Rhodolfo. O zagueiro do São Paulo é responsável também por um prato especial no restaurante que ele mais costumava frequentar quando morava em Curitiba, cidade que será palco do jogo da noite desta quarta-feira, às 21h50, contra o Coritiba, que pode levar o Tricolor à final da Copa do Brasil (transmissão em tempo real pelo LANCENET!).

Especialista em espetinhos, a Casa do Zé abriu uma exceção em seu cardápio por causa de Rhodolfo.

 

– A gente serve a picanha fatiada só em homenagem ao Rhodolfo. Foi um prato que inventamos no dia. A gente disse que ia fazer algo de diferente, aí surgiu a Rafaela – explica Tião Pedroso, dono do estabelecimento, localizado próximo à Arena da Baixada, estádio onde o defensor iniciou a carreira profissional.

Mas… Rafaela? Sim! Esse é o nome da picanha, de marca uruguaia. Certa vez, Tião aproveitou o nome feminino para fazer uma brincadeira com o amigo e deu um susto na mulher do camisa 4 do Tricolor.

– Um dia, minha noiva estava do meu lado, e ele falou se eu queria a Rafaela. Eu disse para ela: “Não, não, é só um prato” (risos) – relembra o xerife.

 

Principal jogador do sistema defensivo de Emerson Leão, Rhodolfo sempre afirma que quer ficar marcado na história do clube. O zagueiro se acostumou a ver a equipe vencendo torneios, mas ele, que chegou no início do ano passado, ainda não conseguiu ser campeão.

Caso o Tricolor não sofra gols no Couto Pereira, estará garantido na final da Copa do Brasil, título que o clube ainda não tem. Se isso acontecer, Tião não ficará feliz apenas pelo sucesso do amigo Rhodolfo. O empresário é são-paulino, e adivinha qual será o prato da festa?

A Rafaela
Antes de Rhodolfo Segundo Tião, a casa servia a picanha no espeto, como todas as outras carnes. Mas um dia, ele ofereceu a Rhodolfo, a Rafaela fatiada. O jogador aprovou e passou sempre a pedir esse prato. Então, Tião decidiu incorporar ao cardápio.
Selecionada A Casa do Zé recebe cerca de 150 quilos da picanha Rafaela por semana. É pouca quantidade se comparada com outras carnes.
Endereço Avenida do Batel, 1433, em Curitiba.

Confira um Bate-Bola com Rhodolfo

O Tião disse que está te esperando para te servir a picanha…
Ele é meu parceiro, até dei uma camisa do Atlético-PR, quando eu jogava lá para ele. O Tião falou que iria enquadrar, mas não queria pendurar lá para não pegar mal com os clientes que torcem para os outros times. Além da picanha, todos os espetinhos são bons. Eu gosto muito de uma sobremesa que ele faz, de banana com sorvete. Assim que eu tiver uma folga, vou passar lá.

E ele ainda é são-paulino e vai querer que você garanta a vaga na final da Copa do Brasil…
Será um jogo bem difícil, bastante complicado, contra uma grande equipe, que tem jogado muito bem. Mas vamos em busca dessa classificação para a final inédita da Copa do Brasil.

Confira um Bate-Bola com Tião Pedroso, dono da Casa do Zé e amigo de Rhodolfo

Rhodolfo já se arriscou na cozinha? Acha que ele leva jeito?
Ele faz a parte dele em campo, e deixa aqui que a gente prepara para ele. É bem melhor assim (risos). Se algum dia, ele for para a cozinha, vou falar para preparar qualquer outro prato, menos a Rafaela (risos).

Como são-paulino, o que está achando do futebol do time?
A gente sempre torce muito, ainda mais com o Rhodolfo jogando pelo São Paulo. Vou torcer muito para ganhar, mas se empatar já está ótimo. O importante é passar de fase. Perdemos no ano passado para o Avaí, então sabemos que se der 0 a 0 , ou 1 a 1, estamos classificados. Isso é o que importa, independentemente do resultado que seja a partida contra o Coxa.
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*