Rogério releva brigas internas e pede que companheiros “deixem para lá”

O atacante Rogério já virou meia e ainda briga para ser titular no São Paulo, mas é certamente uma das vozes que a torcida mais gosta de ouvir no atual elenco, abalado por problemas extra-campo logo no começo do ano. Carismático, o avante tornou-se o xodó dos são-paulinos ao marcar gols importantes, como contra o Goiás, no ano passado, e o Universidad César Vallejo-PER, pela pré-Libertadores.

Aproveitando-se do prestígio conquistado, o jogador, autor do primeiro tento no triunfo sobre o Mogi Mirim, na quarta-feira, veio a público para esclarecer que não há qualquer problema entre os jogadores. De acordo com o jogador, a desavença entre Diego Lugano e Michel Bastos, provocada quando o uruguaio se negou a acompanhar o pacto de silêncio elenco, já é passado.

“A gente está unido, no futebol existe isso. Em um bom grupo, sempre existem brigas. A gente está ciente disso. O São Paulo está no caminho certo para almejar títulos”, comentou o atleta, em entrevista ao programa “Seleção Sportv”, pedindo que todos os companheiros não fiquem tocando no assunto daqui para frente.

“Isso não é só no São Paulo, em vários clubes que a gente passa. O jogador tem que entender que tem que deixar para lá. Quem tem boca fala o que quer. A gente tem que ter profissionalismo e entender que não pode ficar escutando isso”, continuou.

Para ele, com o ambiente livre de qualquer complicação, o clube tem tudo para engrenar em busca de títulos na temporada. Um exemplo é o próprio Rogério, que atuou em dois dos últimos jogos com um armador centralizado, substituto de Paulo Henrique Ganso, longe das pontas, posição em que atuou durante toda a carreira.

“Eu estou ali para fazer o que professor pedir. Desde os 14 anos, quando comecei a jogar, sempre joguei pelas pontas. É a característica que eu sempre levo comigo. Contra o Mogi, foi um jogo em que a gente teve espaço para fazer algumas jogadas. Perdi algumas bolas pelo meio, porque não estou adaptado àquela posição. Mas eu tive a felicidade de fazer o gol”, encerrou

Um comentário em “Rogério releva brigas internas e pede que companheiros “deixem para lá”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*