Rogério Ceni revela seus dois principais desejos após aposentadoria

rogerio074vpc

O goleiro Rogério Ceni já garantiu que no final de 2014 irá se aposentar, mas ainda não sabe ao certo qual caminho irá seguir na carreira após deixar os gramados. Há duas coisas, porém, que o ídolo são-paulino não vê a hora que aconteçam após a aposentadoria.

Em entrevista ao canal Fox Sports, Ceni revelou seus principais desejos fora do futebol: ir a um jogo do tenista Roger Federer e acordar tarde.

Fã declarado do suíço, Rogério espera poder, pela primeira vez, acompanhar um jogo do seu ídolo ao vivo. “Sempre quis assistir a um jogo do Federer, de quem sou fã, mas nunca tive a chance de ir”. Com uma agenda mais tranquila sem os compromissos com o São Paulo, o goleiro terá mais chances de realizar este sonho e, também, como ele mesmo lembrou, de ir a mais shows de sua banda preferia, o AC/DC.

Mas o que ele mais espera de sua aposentadoria é sossego. Aos 40 anos, a rotina de treinos, viagens e jogos já não é tão estimulante como no início da carreira e ele sonha, então, com o dia em que vai poder desligar o despertador e dormir até mais tarde.

“O que eu espero mesmo, é uma coisa banal na vida do ser humano, mas é não ter mais que acordar às 7 da manhã e saber que você tem que levantar para trabalhar faça frio, calor, chuva…”

Estes desejos, é claro, limitam-se à vida pessoal do jogador, que também faz planos para um futuro no futebol. Ele pretende continuar no São Paulo, mas já foi descartado como dirigente por Juvenal Juvêncio. Presidente do clube tricolor até a próxima quarta-feira Juvenal declarou, em entrevista à Espn, que Ceni deverá ser treinador após a aposentadoria.

Apesar de admitir não gostar de ‘ficar atrás de uma mesa para tomar decisões’, Rogério não dá nenhuma garantia de que seguirá a carreira como treinador. Mesmo assim, ele diz que para ser dirigente ele precisaria de muita paciência. A única certeza é que quer continuar trabalhando no São Paulo.

“Eu acho que seria difícil eu trabalhar em outros clubes como Palmeiras, Corinthians e até Santos por causa da rivalidade, mas eu. Mas eu gostaria de seguir a minha carreira no São Paulo”, prevê.

Em 2013, o jogador chegou a cogitar viagem para a Europa para se formar como treinador. A alternativa amadureceu no início de 2012, quando ele viajou à Espanha após realizar cirurgia no ombro direito. No país, visitou centros de treinamento de Real Madrid e Barcelona, estudou métodos de treino e conversou com funcionários dos clubes.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*