Rogério Ceni faz 40 anos e vai para 10ª Libertadores

Rogério Ceni completa nesta terça-feira 40 anos de idade. Destes, 23 dedicados ao São Paulo, clube do qual se tornou maior ídolo da história e recordista em inúmeros pontos. Nesta quarta-feira, aos 40, ele estreará em sua 10ª edição da Copa Libertadores, contra o Bolívar, no Morumbi, e tem na chance do tetracampeonato do clube a maior motivação para continuar jogando.

No dia 9 de novembro do ano passado, o São Paulo anunciou a renovação do contrato de Rogério Ceni, que terminaria no fim de 2012, por mais uma temporada. Até ali, a aposentadoria do capitão era cogitada, apesar de ser vista como pouco provável. Com a recuperação do time dirigido por Ney Franco no Brasileirão e a garantia da classificação à Libertadores de 2013 – torneio do qual o São Paulo não participava desde 2010 –, a permanência de Rogério se confirmou.

Tanto tempo no São Paulo, tantos recordes batidos e tantos títulos conquistados também não diminuíram a ambição. Ainda antes de renovar seu contrato, Ceni dizia que queria ver o clube com uma equipe competente, capaz de levá-lo, junto com o São Paulo, a mais títulos. No último sábado, ele foi o melhor em campo na vitória por 2 a 0 contra o Mirassol, que só aconteceu por conta de quatro grandes defesas. Depois do último teste antes de enfrentar o Bolívar, nesta quarta-feira, cobrou a contratação de mais um ou dois atacantes, para reforçar o elenco na disputa da Libertadores.

Segundo o goleiro, 2013 deve ser, de fato, seu último ano defendendo as cores do São Paulo. Pelo menos dentro de campo. Rogério diz ainda não ter definido qual será seu destino profissional após a aposentadoria. Ainda no ano passado, deixou claro que é mais difícil e trabalhoso a cada dia treinar e seguir a rotina do elenco, que conta com atletas com menos da metade de sua idade, mas afirmou que é a possibilidade de levantar títulos que ainda dá forças para seguir a rotina dos últimos 23 anos no Morumbi.

Em 2013, o tetra do São Paulo na Libertadores seria o tri do capitão. Em 93, ele fazia parte do elenco que desbancou a Universidad Católica na final. Em 2005, um ano após recolocar o clube na competição, foi o protagonista da conquista que recolocou o Tricolor no cenário Sul-Americano. Agora, o título viria junto com o provável adeus. Ceni conquistou a América aos 20, no início da carreira, aos 32, no auge, e fica, aos 40, para fechar a carreira com mais um troféu.

10 momentos do camisa 01 na Libertadores

1993: Pé-quente
Rogério Ceni foi a terceira opção entre os goleiros. Na frente dele, havia Zetti e Gilberto. Compondo o elenco e em sua primeira Libertadores, participou do segundo título do clube no torneio.

1994: Na reserva
Ganhando espaço aos poucos, esteve no banco de reservas na campanha do Tricolor quando foi vice-campeão da Libertadores, perdendo a decisão  para o Vélez Sarsfield (ARG).

2004: Caiu na semi
Titular da equipe, marcou um gol logo na estreia, na vitória de 2 a 1 diante do Alianza Lima (PER). No torneio, fez mais um. O time foi eliminado na semi, para o Once Caldas (COL).

2005: É campeão!
Capitão, artilheiro da equipe ao lado de Luizão com cinco gols e ainda levantou a taça do tricampeonato da Libertadores, após goleada por 4 a 0 em cima do Atlético-PR na final.

2006: Deslizou…
Novamente, Ceni chegou à final da competição. Mas, na decisão diante do Internacional, perdeu o jogo de ida e, na volta, teve atuação irregular. Marcou três gols na edição do torneio.

2007: Precoce
Teve a pior participação em todas as edições. O Tricolor ficou em segundo no grupo 4. No mata-mata, caiu na fase de oitavas de final para o Grêmio. No torneio, não marcou nenhum gol.

2008: Pedra tricolor
Novamente, a equipe foi eliminada por um Tricolor: o Fluminense, nas quartas de final. Não balançou as redes no torneio. No jogo de volta contra os cariocas, teve atuação contestada, por conta do gol de Dodô.

2009: Ano dolorido
Além de problemas físicos, teve a primeira lesão grave na carreira: fratura no tornozelo esquerdo. Não participou da reta final do torneio e viu a equipe do Morumbi ser eliminada pelo Cruzeiro, nas quartas.

2010: Ficou na semi
Retornando em alto estilo, fez grandes defesas no torneio, principalmente no primeiro jogo da semi, contra o Inter, que deixou o placar em apenas 1 a 0 no jogo de ida. Na volta, foi eliminado no saldo de gols. Fez um gol na Copa.

2013: M1to volta!
Após duas edições fora, o goleiro Rogério Ceni poderá disputar outra edição da Libertadores. Conquistou o inédito título da Copa Sul-Americana na temporada passada, com grandes defesas e ainda marcando um gol.
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*