Rogério Ceni falha como orientador da zaga, e São Paulo continua sofrendo com jogo aéreo

Ao reassumir a meta do São Paulo, há quatro jogos, o goleiro Rogério Ceni destacava que uma de suas funções seria ajudar a orientar a zaga, que vinha tomando muitos gols por erro de posicionamento. Nos três primeiros jogos sob o comando do capitão, a defesa foi vazada apenas uma vez, e o São Paulo venceu.

Na quarta partida, porém, diante de um adversário mais forte, a principal falha defensiva voltou à tona: a dificuldade de marcar jogadas pelo alto. Resultado: derrota e o fim da regularidade pretendida pelo técnico Ney Franco.

Os dois gols do Fluminense na última quinta-feira foram fruto de jogo aéreo. Um deles, inclusive, contou com a colaboração do próprio Rogério, que saiu errado ao tentar cortar um cruzamento. No outro, o atacante Fred apareceu sozinho na área e cabeceou por cima do arqueiro.

O São Paulo é a equipe do Campeonato Brasileiro que mais toma gols de cabeça. Paradoxalmente, tem uma das zagas mais altas do torneio. Ao todo, dos 18 gols sofridos pelo time, oito foram fruto de chuveirinhos.

“Tem que ter mais atenção porque temos uma defesa alta, a gente treina bastante também, mas tem que ter atenção”, afirmava o meio-campista Cícero, no intervalo da partida. Atuando no ataque, ele fez um gol de cabeça. Na retaguarda, foi o responsável por cortar as bolas no primeiro pau em cobranças de escanteio.

Nos dois lances de gol, o zagueiro João Filipe, o segundo mais alto do time, chegou atrasado e deixou Leandro Euzébio e Fred livres, sem marcação na área, prontos para cabecear. Depois de um dos lances, o beque levou uma bronca pública do capitão.

Mas, se Rogério prometia ser o orientador da defesa, demonstrou ontem ainda sofrer com falta de ritmo. Além de ter saído errado no lance do primeiro gol, bateu cabeça com a zaga à sua frente e ainda furou em uma reposição de bola em outra ocasião.

O goleiro passou sete meses fora dos campos, se recuperando de uma cirurgia no ombro direito. Mesmo sofrendo dores ao final de cada partida, ele prefere não ser poupado para ganhar sequência de jogo.

Após o revés no Rio, o São Paulo tentará a recuperação no domingo, às 16h, diante do Grêmio no Morumbi.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*