Rodízio motiva autocrítica de Osorio, que põe convicções acima do emprego

Estudioso, Juan Carlos Osorio não se isola dos questionamentos feitos ao seu sistema de rodízio. Um dia depois de poupar alguns titulares na derrota para o Avaí, o técnico do São Paulo garante autocrítica nesta passagem pelo Morumbi.

“Totalmente convicto (em poupar os atletas). Quem mais cobra o meu trabalho sou eu mesmo. Quando você planeja, acaba tomando riscos como esse. Se o time progredir contra o Vasco no mata-mata (da Copa do Brasil), terá sido uma boa decisão proteger alguns de nossos jogadores que competem com mais frequência”, avaliou o colombiano em participação no Sportv.

“Se ocorrer o contrário, com certeza estarei preocupado e vou cobrar de mim mesmo”, prosseguiu o técnico, fazendo referência à uma possível eliminação diante do Cruz-Maltino. Válido pelas quartas de final da Copa do Brasil, o duelo de ida contra o Vasco acontece nesta quarta-feira, às 22 horas (de Brasília), no Morumbi.

“Eu tenho compromisso com o jogo e comprometimento com os meus princípios, com a maneira como vejo o jogo. Não com o meu emprego, e sim com as minhas convicções em relação ao esporte”, avisou Osorio. “Não acho que isso é melhor nem pior, é apenas diferente. É a minha opinião. Trato de transmitir isso aos jogadores e treinar a minha proposta no dia a dia”, comentou.

Desde que chegou ao clube, o treinador já perdeu oito jogadores do elenco são-paulino. Alguns deles eram tratados como peça-chave no esquema proposto inicialmente. “É um time em reconstrução, vocês sabem. Muitos desfalques, mas é a realidade do clube, e agora tratamos de promover novos jogadores. É uma temporada difícil para o clube”, disse Osorio, por fim.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*