Ricardo Gomes diz que goleada vira referência e devolve moral ao São Paulo

Ricardo Gomes estava bem mais leve na entrevista coletiva no Estádio do Morumbi. Satisfeito com a goleada aplicada pelo São Paulo ao Corinthians na noite deste sábado, o treinador fez questão de elogiar a postura do time, disse que o desempenho vira uma referência para as próximas partidas e ainda comemorou a devolução da moral ao grupo.

“Não pedi nada demais ao jogadores. Pedi o de sempre. O jogo já era extraordinário, um clássico, era a chance de recuperar a nossa moral. Nós precisávamos disso, futebol é um jogo de moral, e nós a recuperamos. Realizamos uma partida com pouquíssimas falhas”, disse o treinador na sala de imprensa do Morumbi.

Ricardo Gomes gostou tanto do desempenho de seu time, que admitiu que essa partida será um espelho para o São Paulo daqui para frente. “Tivemos três ou quatro jogadores inspirados hoje e isso é um sinal de que tivemos uma boa recuperação e treino… Deu tudo certo. Nem sempre é assim. Hoje foi um jogo de “referência”, vamos usá-lo para pensar em melhores posições e para melhorar nossa qualidade de jogo”, completou.

Confira outros trechos da entrevista de Ricardo Gomes:

Cueva, destaque do jogo

Ele está há dois anos sem férias… Quando temos espaço para treinamento e recuperação, ele demonstra seu valor. Joga pela seleção peruana, viaja, vai para lá, volta para São Paulo… É diferente quando você tem esse espaço. Ele desequilibrou, fez tudo certo.

Desanimo pós-Libertadores

O São Paulo foi o melhor brasileiro na Copa Libertadores. Tem time que vai chegar na semifinal e pensar: ‘conseguimos’. Isso vai dar moral ao clube. Mas, no São Paulo, é o inverso por conta do número de títulos da equipe na competição. Perder a chance de ir para uma final teve um peso para os jogadores, é normal, falei isso para eles quando cheguei aqui.

Vaias ao Ricardo Gomes antes de a bola rolar

Sinceramente, eu nem sabia sobre isso. Mas é um fato. O time estava em 12º lugar.

Meninos da base

Os meninos deram conta do recado. Em 2017, dá para falar que o São Paulo terá um time forte com os garotos. Não posso prever se serão titulares… O (David) Neres, acho que não foi uma má escolha, deve continuar assim… O Luiz (Araújo) entrou muito bem hoje, é um jogador diferente. E pelo que eu vi durante a última semana, do sub-20, outros vão buscar espaço. O melhor planejamento para os clubes é formar grandes jogadores.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*