Recuperado, Ceni pode quebrar recordes com o Tricolor

Maior goleiro artilheiro da história do futebol, jogador que mais vestiu a camisa do São Paulo em jogos oficiais, atleta que mais disputou partidas no Campeonato Brasileiro… Os recordes fazem parte da carreira de Rogério Ceni, que pode chegar a outro em dezembro: o único a conquistar o tetracampeonato do torneio nacional atuando pela mesma equipe.

Após se recuperar de um trauma no pé direito, o goleiro tricolor, campeão do Brasileiro em 2006, 2007 e 2008, está à disposição do técnico Ney Franco, e deve iniciar a trajetória no Nacional nesta quarta-feira, diante do Vasco, no Estádio do Morumbi, local em que, entre tantos momentos, celebrou a milésima partida vestindo a camisa do São Paulo.

Rogério Ceni, com o tetra brasileiro, igualaria o meia Zinho e o volante Andrade (veja mais abaixo), ambos quatro vezes campeões no torneio nacional, mas os superaria sendo o único a vencer com o mesmo manto.

Ambicioso e determinado, o camisa 1 tricolor atuou, mesmo com dores, nas partidas decisivas do Campeonato Paulista e da Copa Libertadores. Contudo, não conseguiu evitar as eliminações do time para o Atlético-MG, no torneio internacional, e para o Corinthians, no Estadual. Após os fracassos no primeiro semestre, o goleiro de 40 anos, que deve se aposentar ao fim desta temporada, busca mais glórias na carreira, em uma competição que está acostumado a disputar e vencer.

Na segunda-feira, Ceni foi a campo e, mesmo sob chuva no CT da Barra Funda, participou do treino, em atividade coordenada pelo preparador de goleiros, Haroldo Lamounier. Depois, fez o trabalho técnico, com o campo reduzido, ao lado dos jogadores que não atuaram diante da Ponte Preta, na primeira rodada do Nacional.

Disposto, o goleiro também é fundamental para a conquista do heptacampeonato da equipe. Além do profissionalismo, a experiência dele conta na sequência da temporada. Para o segundo semestre, diretoria e comissão técnica tricolores afastaram sete jogadores e trouxeram outros sete, sendo seis abaixo dos 23 anos. Com isso, acreditam que o camisa 1 ajudará na evolução dos jogadores, deixando um “legado”.

Na primeira rodada, Ceni viu, de longe, a equipe começar com uma vitória fora de casa. Amanhã, o goleiro deve voltar ao time para iniciar a trajetória por mais uma taça nacional.

Os tetracampeões

Andrade
Participou do melhor time da história do Flamengo, quando o rubro-negro carioca conquistou os títulos brasileiros de 1980, 1982 e 1983. Em 1989, pelo rival Vasco, ganhou seu quarto e último título do Brasileiro como atleta.

Zinho
Ao lado de Andrade, o ex-meia é o único tetracampeão brasileiro. Revelado no Flamengo, ganhou o Brasileiro de 1992. Já no Palmeiras, faturou as edições de 1993 e 1994 e, em 2003, no Cruzeiro, levantaria sua última taça.

Incômodo no pé direito e recuperação

Majestoso
Goleiro se choca com Alexandre Pato no clássico com o Corinthians, no último dia 31 de março, e machuca o pé direito. Fez exames no mesmo dia, que detectaram trauma no local.

No sacrifício
Poupado de algumas partidas da primeira fase do Paulista, atuou com dores no pé nos jogos finais da fase de grupos e das oitavas da Libertadores, além da reta decisiva do Paulista. Ainda marcou dois gols de pênalti.

Reffis
Depois das eliminações para Corinthians, no Paulistão, e Atlético-MG, na Libertadores, iniciou período intensivo de recuperação no Reffis de Cotia. Trabalhou até na folga para recuperar-se totalmente da contusão.

Por marca, Ceni terá de ser 100%

Com 1073 jogos pelo São Paulo, Ceni ainda persegue o recorde de atleta que mais vestiu a camisa de um mesmo clube no Brasil, pertencente a Pelé, com 1116 apresentações pelo Santos.
E para que supere o Rei, o camisa 01 precisará de uma assiduidade exemplar no restante da temporada. Isso porque o Tricolor tem, garantidas, 44 partidas para fazer em 2013: 37 pelo Brasileirão, duas pela Sul-Americana (entra na fase de oitavas de final e pode prosseguir na competição), duas pela Copa Audi, duas pela Recopa e uma pela Copa Suruga.
Dessa forma, com 100% de presença nos confrontos restantes, ultrapassaria Pelé por um jogo apenas. Com 40 anos e propenso a se lesionar com mais facilidade, será que o M1TO consegue?

 

Um comentário em “Recuperado, Ceni pode quebrar recordes com o Tricolor

  1. Se for para submeter-se a vexames que ofuscariam o brilho de sua carreira é preferível que deixe o recorde e preserve a imagem que construiu. Tão importante quanto a dedicação é a noção e o planejamento de como deixar a carreira. Já entrou para história, mas que as últimas imagens sejam dignas de tudo quanto conquistou e do orgulho que a torcida tem pelo ídolo que é.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*