Pressão e Leco em conflito. Dorival não tem permanência garantida no SP

Ainda não é possível cravar que Dorival Júnior vai comandar o time do São Paulo na quarta-feira. A Gazeta Esportiva apurou que a diretoria do clube está dividida entre os que querem dar mais um voto de confiança ao treinador e aqueles que preferem interromper o trabalho imediatamente. Nessa segunda-feira uma reunião deve acontecer entre a cúpula do futebol tricolor e o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, mas também é cedo para dizer que o encontro será categórico para qualquer anúncio oficial.

O cenário, por enquanto, é o seguinte: pessoas influentes no clube têm pressionado Leco a demitir Dorival Júnior e promover André Jardine, técnico do Sub-20, ao comando do elenco principal. Neste caso, a intenção seria encontrar um novo técnico para acompanhar a equipe desde o início do Campeonato Brasileiro. A não ser que Jardine viesse a conseguir uma campanha positiva fora de série, a ideia inicial seria apenas usá-lo como interino.

O problema é que Leco não está convicto. E o motivo é justamente as constantes trocas de técnico pelo qual o clube tem passado. Desde que Edgardo Bauza deixou o São Paulo para assumir a seleção argentina, em agosto de 2016, o Tricolor do Morumbi já foi dirigido por Ricardo Gomes, Rogério Ceni e Dorival Júnior, além dos interinos André Jardine e Pintado.

Aliás, se Dorival Júnior for demitido antes do próximo compromisso da equipe, ele perderá o cargo exatamente com o mesmo número de jogos que Rogério Ceni perdurou no cargo: 37.

O presidente são-paulino gostaria de dar um basta nessa ciranda e, enfim, promover uma continuidade no comando do elenco. Entretanto, Leco está cada vez mais suscetível a ceder à pressão interna e externa, já que boa parte da torcida também já perdeu a paciência com Dorival Júnior. Nesse domingo, vaias e xingamentos de “burro” foram direcionados ao treinador durante o empate com a Ferroviária no Morumbi.

O fato do São Paulo ter sido derrota em dois clássicos (para Corinthians e Santos), não ter feito uma grande atuação desde o início da temporada e agora ter alcançado seu terceiro jogo seguido sem vitória fez com que Leco reavaliasse sua intenção com Dorival Júnior.

As próximas horas serão decisivas.

De qualquer forma, com Dorival ou não, o São Paulo terá apenas dois dias para se recuperar e fazer os ajustes necessários. Quarta-feira, às 19h30 (horário de Brasília), o time encara o CRB, no Morumbi, pelo confronto de ida da terceira fase da Copa do Brasil. A assessoria do clube já adiantou que não haverá entrevista coletiva no CT da Barra Funda até o dia do jogo.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

6 comentários em “Pressão e Leco em conflito. Dorival não tem permanência garantida no SP

  1. O Leco precisa enfiar na cabeça que administrar um clube social com 5.000 ou 10.000 (?) frequentadores não tem nada a ver com a administração de um time de futebol. Ele pode gerir bem a parte social, mas de futebol ele não entende nada. Há muitos anos ele tem flutuado nas diversas diretorias, como um mosquito de balcão, sempre esperando uma “boquinha” e conseguiu o que queria, desgraçar os 15/20 milhôes de torcedores que o SPFC atingiu desde as conquistas dos anos 70 para cá. Ele nunca teve um projeto para o nosso time. Temos tido verdadeiras “colchas de retalho” para delírio dos nossos rivais, que assistem nossos jogos rindo e torcendo para irmos para a Série B. Os Conselheiros que tem peso e vergonha na cara devem mudar essa situação para o bem da nossa grande torcida. As torcidas organizadas não devem fazer baderna, mas, bem ensaiados, gritarem palavras que penetrem nos ouvidos desses diretores safados e incompetentes. A ordem do momento é mudança já!!!

  2. Tira logo esse arremedo, que se tivesse vergonha na cara pediria demissão, ninguém o quer mais, nem jogadores, nem diretores e muito menos a torcida.
    Coloca o Luxemburgo que rapidinho esse time cresce, e puxa o Jardine pra ser o auxiliar, isso seria um efeito rápido e eficiente.
    Mas esperar eficiência de Leco e Raí, eh muito difícil!

  3. O interessante do futebol é o discurso, principalmente no São Paulo, quando se entrevista um técnico ou um jogador uma das expressões mais usadas é “aqui todo mundo é profissional” e aí vem parte curiosa, dirigidos por amadores.

    • Boa observação… mas peço a devida vênia para acrescentar que na atual diretoria temos 5 (cinco) cargos bem remunerados, além de Rai e R. Rocha, também remunerados. A conclusão do óbvio é que toda pessoa que troca uma prestação de serviços por $$$ é profissional, independentemente da sua performance, essa sim a palavra chave e que no atual São Paulo FC é RUIM em todos os níveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*