Por que Corinthians x SP é único para ambos na Libertadores

A Copa Libertadores já é uma questão superada pelo Corinthians. Campeão invicto em 2012, levou a melhor em clássico, venceu um gigante do continente, o Boca Juniors, e recentemente até o efeito Tolima foi exorcizado. Isso seria tudo?
Não é tudo para o Corinthians e também não é tudo para o São Paulo, tricampeão, vice em 2006 e clube brasileiro de melhor retrospecto na competição. Há uma conta pendente que os dois rivais têm a resolver nesta quarta-feira, no Itaquerão, a partir das 22h (de Brasília).
Trata-se do primeiro confronto entre as duas equipes na história da Libertadores e, seguramente, a possibilidade de deixar o rival pelo caminho para a equipe que somar três pontos. Nas prévias, graças à presença do atual campeão San Lorenzo, o Grupo 2 é tido como o mais forte dessa edição do torneio.
Também é muito provável que seja o recorde de lotação do novo estádio em um jogo do Corinthians. A direção corintiana espera um público próximo dos 40 mil torcedores, cenário ideal para um duelo a ficar marcado nos almanaques. A paz, pedida por Tite na última semana, também encontrou eco nas duas diretorias.
O presidente são-paulino Carlos Miguel Aidar acertou diretamente com o ex-presidente corintiano Andrés Sanchez, nome mais forte da nova diretoria, que os dois clubes dividiriam os custos de um transporte alugado para cerca de 1600 torcedores do São Paulo. A atitude será retribuída pelo mandante do jogo no Morumbi, previsto para 22 de abril.
Em campo, ninguém espera menos que um grande jogo, por mais que o histórico recente de Tite e Muricy Ramalho indique placares apertados. A força do Corinthians nos jogos mais importantes, porém, tem sido uma marca dos últimos anos. Em confrontos de mata-mata, por exemplo, o último êxito do São Paulo aconteceu em 2000, pela semifinal do Paulista. É claro que o duelo desta quarta-feira, a rigor, não se enquadra nessa categoria.
Por enquanto, o Corinthians colhe os frutos de ter iniciado a temporada com maior exigência, graças à fase prévia da Copa Libertadores. Nos jogos mais importantes, a equipe de Tite teve comportamento quase irretocável e atingiu seus objetivos. Isso também contribui para que os corintianos cheguem aparentemente mais inteiros. Mesmo com a ausência do suspenso Paolo Guerrero, a ser substituído por Danilo.
Se Tite confirma o time titular e já se sabe de que maneira irá atuar, o São Paulo se apresenta de maneira diferente. Muricy Ramalho cogita três formações diferentes, sendo uma até com três zagueiros. Não se sabe se Dória vai atuar, por exemplo. E, para dificultar o trabalho de Muricy, o argentino Centurión está suspenso e Alexandre Pato não pode jogar porque é emprestado pelo Corinthians.
No comando do ataque dos dois times estará a esperança de um clássico de muitos gols. Luís Fabiano já marcou oito vezes contra o rival, a segunda vítima preferida dele na carreira, só atrás do Vasco. Danilo, campeão mundial no Morumbi e no Parque São Jorge, foi eleito por Tite para ser centroavante. Ele já tem cinco gols marcados no São Paulo.
FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS x SÃO PAULO
Data e hora: 18/02/2015 (quarta-feira), às 22h (horário de  Brasília)
Local: estádio Itaquerão, em São Paulo (SP)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Cleriston Clay Barreto Rios (SE) e Guilherme Dias Camilo (MG)
CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Fábio Santos; Ralf; Jadson, Elias, Renato Augusto e Emerson; Danilo.
Treinador: Tite
SÃO PAULO: Rogério Ceni; Bruno, Toloi, Edson Silva (Dória) e Reinaldo; Denílson e Souza; Thiago Mendes (Alan Kardec), PH Ganso e Michel Bastos; Luís Fabiano.
Treinador: Muricy Ramalho
Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*