Ponte Preta faz história, vence o Vélez e pega o São Paulo na semi

A Ponte Preta segue fazendo história em sua primeira competição internacional. Nesta quinta-feira, a equipe comandada por Jorginho não tomou conhecimento do tradicional Vélez Sarsfield e superou os argentinos por 2 a 0 em pleno estádio Jose Amalfitani. Como havia empatado o jogo de ida, em Campinas, o resultado foi o suficiente para colocá-la na semifinal da Copa Sul-Americana.

Como o regulamento da competição continental não permite que dois times do mesmo país façam a final, o adversário da Ponte na semi será o São Paulo, que na última quarta-feira eliminou o Atlético Nacional-COL.

Porém, apesar do feito histórico, a Ponte Preta terá pouco tempo para comemorar, já que tem menos de 72 horas até o seu próximo compromisso, pelo Brasileirão, campeonato no qual luta desesperadamente para deixar a zona de rebaixamento – o time campineiro recebe o Vitória no domingo, no Moisés Lucarelli.

A Ponte Preta não se intimidou diante dos milhares de torcedores do Vélez Sarsfield que encheram o estádio Jose Amalfitani. O time comandado pelo técnico Jorginho jogou de igual para igual com os anfitriões e, explorando especialmente o lado esquerdo de seu ataque, com Rildo e Uendel, por pouco não conseguiu ir para o intervalo em vantagem no placar.

Na melhor chance da primeira etapa, Elias cobrou falta da intermediária para dentro da área do Vélez e Artur deu um leve desvio de cabeça, exigindo um milagre de Sosa, que saltou no canto direito e fez ótima defesa.

“Conseguimos ter posse de bola, chegamos no gol deles. Mas precisamos ter mais tranquilidade, às vezes parece que a bola está queimando no pé da gente”, analisou Chiquinho na saída para o intervalo em entrevista ao Fox Sports. “Estamos bem postados. Temos tudo para sair com a classificação”, acrescentou Rildo, um dos que mais correu na etapa inicial.

A Ponte Preta voltou com a mesma postura no segundo tempo, e desta forma precisou de apenas três minutos para abrir o placar e complicar a vida do Vélez. Em rápido contra-ataque, Rildo serviu Elias, que de dentro da área finalizou na saída de Sosa e mandou para as redes. 1 a 0.

A partir daí, o que se viu no Jose Amalfitani foi o Vélez partindo para cima da Ponte – de forma desordenada – e a equipe brasileira bem postada, defendendo-se da forma que podia. E deu certo. O tempo foi passando, e os gritos de “Macaca Querida” vindos da torcida alvinegra – que compareceu em bom número ao estádio – passaram a tomar conta do palco argentino.

E ainda houve tempo para um golaço de Fernando Bob. Já nos acréscimos, ele invadiu a área, chapelou o goleiro e mandou de cabeça para as redes, calando de vez a torcida argentina.

 

3 comentários em “Ponte Preta faz história, vence o Vélez e pega o São Paulo na semi

  1. Paulo Pontes, você chegou a ver ou ler que a semifinal exige estádio com capacidade mínima para 20 mil lugares?
    O estádio da Ponte não tem oficialmente essa capacidade. Como será que fica?

    • Regis, eu sei que isso vale para a Libertadores, não tenho certeza se também o é para a Sul-Americana. Mas vou me informar melhor e falo alguma coisa.
      Já verifiquei no próprio regulamento da Sul-Americana. Das oitavas à semifinal, mínimo de 20 mil torcedores. Para a final, mínimo de 40 mil. O Moisés Lucarelli recebeu os jogos das oitavas e das quartas, portanto receberá a semifinal.Sua capacidade oficial é de 17.500 lugares. Não sei o que a Ponte está fazendo para jogar lá.

      • Muito provavelmente eles conseguiram um laudo ‘mágico’ aumentando a capacidade do estádio com as mesmas pessoas que deram os laudos para o time da marginal aumentar o Pacaembu para jogar final da Libertadores nele e, também, para o Patético Paranaense quando ele tentou aumentar a capacidade do meio estádio deles em 2005 para final.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*