Piores momentos do SP em 2015 foram em clássicos. Precisa mudar até quarta

O São Paulo é o único grande do Estado que não venceu nenhum clássico em 2015. Mais que isso. Foi contra os seus maiores rivais que o clube do Morumbi viveu seus piores momentos na temporada. A dois dias do terceiro e mais importante duelo contra o Corinthians, o time precisa reagir para não perder de vez o trabalho do semestre.

O jogo da próxima quarta, em casa, decide o futuro do São Paulo na Libertadores. Para não depender de ninguém, o time precisa superar o próprio histórico recente e vencer o Corinthians. Se empatar ou perder, tem que torcer para o San Lorenzo tropeçar diante do lanterna Danubio, em Buenos Aires, também na quarta, às 22h.

Uma eliminação no torneio continental jogaria o trabalho do semestre no lixo. O vice-campeão brasileiro de 2014 começou o ano com uma base e prometendo continuidade a um trabalho promissor. Quatro meses e meio depois, perdeu Muricy Ramalho por problemas de saúde, pode perder a segunda competição na qual estava envolvido e sequer sabe quem será seu treinador, já que a direção ainda espera uma resposta do argentino Alejandro Sabella (a promessa é que venha essa semana).

O problema é depender de um clássico para mudar isso. Até agora, confrontos com os rivais são os maiores pesadelos do São Paulo. Foi uma derrota acachapante contra o Corinthians, por exemplo, que desencadeou a crise interna entre a diretoria e Muricy Ramalho.

Quando o São Paulo perdeu por 2 a 0 na Arena Corinthians sem oferecer resistência ao rival, o técnico foi pressionado e foi a público reclamar que “pessoas estavam tentando fazer a cabeça da torcida contra ele”. Aidar, ligado à principal organizada, teve de ir ao CT para tentar selar as pazes, mas o gesto diplomático não aliviou a tensão.

Saída, aliás, que por pouco não foi antecipada por um clássico. Foi depois do 3 a 0 para o Palmeiras, outra derrota marcante, que Muricy Ramalho entregou o cargo. Naquele momento, os cartolas contornaram a situação e o mantiveram no cargo. Uma semana e meia depois, porém, ele sairia alegando problemas de saúde.

No último domingo, já com o interino Milton Cruz no banco de reservas, o São Paulo tinha a chance de voltar a uma final de Paulista após 12 anos no confronto com o Santos, único rival para quem ainda não havia perdido em 2015. Apático e desorganizado, o clube do Morumbi perdeu na Vila Belmiro e foi eliminado pela primeira vez no ano com o 2 a 1.

 

Fonte: Uol

5 comentários em “Piores momentos do SP em 2015 foram em clássicos. Precisa mudar até quarta

  1. PP nao perdemos o muriçy por problemas de saude, o problema de saude foi o empurrao que precisava para sair por cima do sao paulo, suas escalacoes no semestre foram horriveis como o MiltonCruz Credo, e teve culpa direta em algumas derrotas por escalar mal e nem treinar direito como se devia.
    A porcaria de diretoria foi conivente com tudo isso e esta pagando o preço, a primeira eliminação ja veio a segunda vai vir quarta feira, e alguem crê que as galinhas vao entrar para perder ou empatar, ou vao jogar mal, o jogar mal deles ja é suficiente para ganhar da gente, time sem padrao de jogo sem brilho sem alma.
    E o sao paulo esta pagando pela má administracao, de um ditador arrogante que se acha o melhor dos dirigentes.

  2. Paulo Pontes, boa tarde.
    A pior coisa é o presidente de um clube ligado a torcida uniformizada.
    Vamos torcer mais vai ser dificil mudar uma coisa em 03 dias.

  3. Ivan, bom dia.
    Concordo com suas observações. Perdemos a pré temporada com o Sr. distribuidor de coletes, depois se escorou na saúde e o filme já sabemos, mais um ano pífio, mal planejado, As indicações do Sr. distribuidor de coletes, sempre foram péssimas, vide Juninho, Joilson, Zé Luis, Fabio Santos, entre outros. Esse ano ele desprestigiou Auro pelo Bruno, hoje reserva do Paulo Miranda, escancarou todo seu descontentamento com Alvaro pelo Carlinhos e dispensou o Carleto. Qual a diferença entre Luis Ricardo e Bruno? Queria Dudu e teve o Centurion, mas na primeira oportunidade queimou o rapaz em entrevista coletiva. Nunca fez questão de dar oportunidades ao Boschilia, e não me venha com essa que sempre colocava o menino pra jogar, pois estatisticamente o Boschilia sempre entrou faltando 5 minutos ou menos. Conseguiu acabar com o futebol do Kardec, deslocando ele para os lados, por que o Sr. Rei dos impedimentos fez biquinho. E o que mais me impressiona é que todas essas atrocidades foram debaixo do “mão de ferro” Ataide, outro incompetente, linha dura, arrogante, dono da verdade.

    Sr. Aidar quando você iniciou a limpeza administrativa, deveria e melhor deve estender ao SPA CT da Barra funda, traga os bons profissionais de volta, entregue o futebol na mão de pessoas que tem “feeling”, time de futebol não é quartel, jogador tem família, problemas. Claro que deve ter cobrança, elas fazem parte de quem opta em jogar em alto rendimento, mas o que o boleiro não perdoa é trairagem, jogar na imprensa.

    O ano de 2015 a meu ver foi jogado fora, sou a favor de mudança geral na instituição, pensar pra frente e modernizar, oxigenizar o clube.

    Inicia-se por Milton Cruz e Ataide.

  4. O semestre já foi jogado no lixo, esquece. E também não aceito como desculpa falar que o Aidar desprestigiou o Muricy. Até falou várias bosta é verdade, mas a responsabilidade por estarmos nessa situação é do senhor Muricy Ramalho, que deixou o time 4 meses de férias. Time sem padrão tático, sem estilo de jogo definido, não tem jogada ensaida, dificuldade física…é o Aidar quem dá os treinamentos no ct? Desejo toda sorte ao Muricy, que se recupere logo, mas ele acabou com nosso 2015. Fato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*