Pintado é favorito para dar ‘chacoalhada’ em elenco do São Paulo

O São Paulo praticamente definiu que contratará um ex-jogador para fazer parte da comissão técnica, após demitir o coordenador técnico Milton Cruz. E o favorito para o novo cargo é o ex-volante Pintado, atualmente técnico do Guarani. A diretoria enxerga nele as características procuradas, como identificação com o clube, linguagem de boleiro e personalidade para dar uma “chacoalhada” no elenco, necessidade apontada pelo diretor de futebol Luiz Cunha e compartilhada pelos demais cartolas.

A diretoria ainda evita falar com mais força do nome de Pintado, até porque o ex-jogador está ligado ao Bugre e tem jogo importante nesta sexta-feira, contra o Independente, pela Série A2 do Paulista. O treinador também tem evitado falar no assunto, mas nunca escondeu seu desejo de trabalhar no Tricolor, pelo qual foi campeão da Libertadores, 199e e 1993, e Mundial em 1992.

Curiosamente, Pintado protagonizou uma polêmica com o clube recentemente, mas na gestão anterior, de Carlos Miguel Aidar. No ano passado, o ex-jogador atuou como intermediário do Cruz Azul (MEX) na tentativa de levar Luis Fabiano para o futebol mexicano, mas teve postura reprovada pelos dirigentes, a quem criticou posteriormente. Dentre os cartolas, estava Ataíde Gil Guerreiro, ex-vice de futebol e atualmente como diretor de relações institucionais.

Caso seja contratado, Pintado fará o elo entre a diretoria e os jogadores e, de cara, terá de adotar a postura de cobrança exigida pela cúpula. Há tempos que se fala nesse problema no CT.

Fonte:Lance

3 comentários em “Pintado é favorito para dar ‘chacoalhada’ em elenco do São Paulo

  1. Os caras acham mesmo que existe isso de chibata nos folgados. Desculpe, é muita inocência. Não era pra isso que contrataram o Lugano?

    Ninguém quer chibata nos folgados, queremos jogadores compromissados. Quem não for, rua.

  2. Entendo que o Pintado tenha uma boa identificação com o SP: afinal ele foi feliz jogando pelo tricolor e foi o momento mais importante de sua carreira. Ninguém esquece. Entretanto, apenas isto não é suficiente para credencia-lo como o dirigente que o SP precisa neste momento (se é que precisa). Numa empresa em que os diretores não são profissionais e se deixam mover por paixão, é muito difícil fazer um trabalho que mexa com o patrimônio do time (jogadores). O técnico deveria ser o profissional capaz de resolver problemas com os atletas e não terceirizar este problema para um terceiro que não vai ter como ter poder para, por exemplo, mandar o Ganso treinar à parte, caso na opinião dele, dirigente, for o caso. Daí vai ter muita gente dando palpite, criticando o trabalho dele e vai virar uma suruba. Melhor não ter tal profissional no grupo; afinal já existe um (i) responsável por contratações e vendas que deveria, em última análise, ajudar o técnico nestes casos: é ele quem deve cuidar deste patrimônio do clube…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*