Surpreendido por saída de Milton, Michel aceita chacoalhada no Tricolor

A demissão de Milton Cruz, oficializada na quinta-feira pela diretoria do São Paulo, pegou o elenco de surpresa. O meia Michel Bastos disse que a saída do analista de desempenho não era esperada pelo grupo de jogadores, mas reconheceu que o clube precisa passar por mudanças para alcançar resultados melhores na temporada. “As coisas são feitas para melhorar o time. Não sei se vai, mas tomaram essa decisão. Faz parte do futebol, são as pessoas que lidam com isso que precisam decidir. Temos de acatar as saídas de pessoas que admiramos e continuar trabalhando”, afirmou.

Michel expressou gratidão a Milton Cruz e desejou “toda a sorte do mundo” ao profissional em um futuro trabalho. “É difícil, uma situação diferente. Mas nós precisamos fazer nosso trabalho dentro de campo. Ocorreu essa saída de uma pessoa que tinha um respeito muito grande no grupo. O futebol tem disso. Ele foi uma das pessoas que me trouxeram para cá e só tenho a agradecer, porque estou num grande clube e tenho a chance de vestir essa camisa”, disse.

O atleta disse que não estava ciente do interesse da diretoria em contratar um ex-jogador identificado com a torcida para assumir o cargo ocupado por Milton Cruz. Para ele, qualquer novidade que seja “positiva para o grupo” deve ser buscada pela diretoria. O nome do ex-volante Pintado, que atualmente comanda o Guarani na Série A2 do Paulistão, é o mais cotado pelos dirigentes no momento.

Chacoalhada – Por mais que Milton Cruz fosse querido pelo elenco, Michel Bastos se mostrou receptivo às tomadas de decisões da diretoria. Tanto que aceitou a necessidade de dar uma “chacoalhada” no grupo de jogadores. O termo foi utilizado pelo novo diretor de futebol do clube, Luiz Cunha, durante a sua apresentação à imprensa. “O Cunha chegou no momento em que o time está sendo cobrado por resultados. Tenho certeza que ele fará algo para mudar. Se ele acha que no momento tem que dar uma chacoalhada, então vamos chacoalhar. E que isso seja benéfico para o grupo”, declarou.

Após o treino dessa sexta-feira, Michel Bastos se encaminhou para a lateral do gramado e passou um tempo conversando com Cunha. O atleta disse que o papo foi “muito produtivo” e que ficou “feliz com as palavras” ditas pelo diretor, mas não quis entrar em detalhes sobre os assuntos tratados.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Um comentário em “Surpreendido por saída de Milton, Michel aceita chacoalhada no Tricolor

  1. Analista de desempenho o MCC, faz me rir, deram um cargo para ele so para tapar buraco ate demiti-lo, o que ele fez como analista, o que ele tem ou tinha para mostrar, que o elenco é fraco, que a diretoria nao presta, que o treinador contratado é um retranqueiro e nao sabe armar um time sem ser retranqueiro.
    Desde a epoca que ele era somente olheiro eu ja nao gostava, pq nao trazia nada de bom para o clube como sendo olheiro, e como ajudante de treinador era somente um quebra galho, e nunca quando esteve de auxiliar aprendeu nada, tantos treinadores passaram nesses 22 anos e o que ele aprendeu, quase nada pq se tivesse aprendido, ja seria treinador do sao paulo faz tempo.
    Boa sorte MCC vc vai precisar e muito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*