Petros reclama da arbitragem, mas comemora fim de ano positivo

O São Paulo poderia ter vencido o Bahia no Morumbi e terminado o Campeonato Brasileiro em uma posição melhor caso o árbitro Elmo Alves Resende Cunha não tivesse falhado no último lance da partida. Pelo menos é isso o que o pensa o volante Petros. Ao fim do duelo contra a equipe nordestina, o meio-campista são-paulino soltou o verbo contra a arbitragem e categoricamente disse que o Tricolor acabou sendo prejudicado na reta final do Brasileirão.

– Ele (árbitro) deu mais um minuto, e é claro que sairia o nosso gol, a bola sobrou para nós. Mas ficou por isso mesmo, acabou o jogo. Foi assim o ano inteiro. Tiago (zagueiro do Bahia) veio me empurrando, empurrei também e, mais uma vez… É uma pena que a gente tenha sofrido um gol tão infantil, afirmou o camisa 6 do São Paulo sobre o último lance da partida, quando ele partia em direção ao gol adversário e foi claramente derrubado pelo zagueiro baiano.

Apesar do sentimento de injustiça, o volante fez questão de comemorar o objetivo alcançado: salvar o São Paulo do rebaixamento. O jogador chegou ao clube no meio da temporada e se deparou com a equipe brigando para não cair, pela primeira vez em sua história, para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro. A jornada foi longa, mas o Tricolor se salvou da queda com três rodadas de antecedência e ainda garantiu uma das vagas brasileiras na Copa Sul-Americana do ano que vem.

– Foi um ano muito difícil, é notório como estamos desgastados. Tivemos de assumir uma responsabilidade fora do normal, mas fico muito feliz. Voltei (ao Brasil) para não deixar o São Paulo ser rebaixado e cumpri o objetivo. Agora é aprender com o que aconteceu, acabamos o jogo com 5 ou 6 jogadores de Cotia. Dorival não tem medo e merece ser valorizado. Fiz o Brenner fazer o gol, aposto em todas as minhas fichas nele, concluiu o são-paulino demonstrando que acredita muito na força e talento dos garotos da base para recolocar o clube do Morumbi na rota dos títulos.

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*