Pênalti perdido e jejum reforçam má fase de Nenê no São Paulo

Nenê vive um dos momentos mais difíceis nesta passagem pelo São Paulo. Acusado por muitos como um dos responsáveis pela demissão de Diego Aguirre, o camisa 10 não tem conseguido ser decisivo sob o comando de André Jardine, apesar do esforço demonstrado nas partidas.

Na última segunda-feira, por exemplo, o meia de 37 anos se movimentou bem e foi o jogador do São Paulo que mais finalizou em gol – três vezes, segundo o Footstats –, durante o empate por 0 a 0 com o Sport, no Morumbi. No entanto, ele falhou quando teve a bola do jogo em seus pés ao desperdiçar um pênalti aos 29 minutos do segundo tempo.

Substituído pouco depois por Tréllez, Nenê deixou o campo vaiado, algo bastante incomum em sua trajetória no Morumbi. Após a partida, cabisbaixo, ele admitiu o erro e pediu desculpas à torcida tricolor.

“Eu mesmo me vaiaria. Foi ridículo o pênalti que eu bati. Sei que são coisas do futebol, que isso acontece. Erra quem está ali. Estou me sentindo muito mal. Entendo totalmente e peço desculpas ao torcedor são-paulino”, lamentou.

O erro, aliás, aumentou o jejum de gols de Nenê no ano. Agora, são 15 partidas sem balançar as redes adversárias. Seu último tento foi anotado no empate por 1 a 1 com o Paraná, no dia 22 de agosto, na longínqua 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Apesar da má fase, o vice-artilheiro do time na temporada tem o respaldo do treinador e o apoio do elenco. “O Nenê tem a confiança de todo mundo, sempre bateu os pênaltis e nunca tinha perdido. Perdeu em um jogo decisivo, mas isso não acontece só com ele, pode acontecer com qualquer um”, contemporizou Diego Souza.

“O Nenê é uma liderança importante do nosso vestiário, é um cara que encarou o desafio do São Paulo como um dos maiores da carreira. Foi decisivo em muitos jogos no campeonato. Errar um pênalti faz parte. Ele marcou outros importantes e jamais se eximiu da responsabilidade”, afirmou Jardine.

Seja como for, Nenê pode se redimir ajudando o São Paulo a conquistar uma vaga na fase de grupos da Copa Libertadores de 2019. Para isso, o Tricolor precisa passar o Grêmio na última rodada do Brasileirão. As duas equipes somam os mesmos 63 pontos, mas os gaúchos levam vantagem no número de vitórias (17 a 16).

No próximo domingo, às 17 horas (de Brasília), o São Paulo visita a Chapecoense, enquanto o Grêmio recebe o Corinthians.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

4 comentários em “Pênalti perdido e jejum reforçam má fase de Nenê no São Paulo

  1. Os pênaltis batidos por Nenê sempre precisaram de uma dose extra de sorte, ou seja, sempre mal batidos. Acho que ele já devia saber que nessa fase ruim até eu pegaria um pênalti seu mal batido. E se o Jardine tiver um mínimo de coerência não deixa ele bater mais nenhum pênalti.

  2. O Nenê está jogando o futebol dos veteranos do time de Masters quando fazem espetáculos nas praias e cidades pelo Brasil afora. Toques de letra e dribles desnecessários, sem qualquer compromisso com o resultado. Já deu o que tinha que dar. De graça é caro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*