Passada pressão, São Paulo visita Rio Claro temeroso só com dengue

As goleadas sobre Audax e, principalmente, Danubio devolveram ao São Paulo a tranquilidade anterior à dura derrota para o Corinthians na estreia da Copa Libertadores. Tanto que o time treinado por Muricy Ramalho volta a jogar neste domingo – diante do Rio Claro, fora de casa – sem qualquer pressão. Ao menos até o próximo clássico contra o arquirrival, dali a uma semana, pelo Campeonato Paulista.

A maior preocupação dos jogadores e membros da comissão técnica para o compromisso que começará às 16 horas (de Brasília) é a epidemia de dengue na cidade interiorana. Já são mais de mil casos registrados, quatro deles com jogadores do adversário, inclusive. Além do zagueiro Gilberto, do volante Lucas Madalosso, do meia Nenê Bonilha e do atacante Rodolfo, outros três funcionários do clube foram diagnosticados e tiveram que superar a doença.

Por precaução, os atletas usarão repelente, ainda que essa medida não seja garantia contra picadas de mosquitos que eventualmente estejam infectados com o vírus transmissor da dengue. “Apenas minimiza. Mesmo com o repelente, é possível contrair”, diz o chefe do departamento médico são-paulino, José Sanchez, temeroso em perder atletas por uma sequência de jogos. “É um caso que deveria ser cuidado pela saúde pública, pelo Estado. O ideal seria nem ter esse jogo”, opinou.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Com Luis Fabiano poupado, Alexandre Pato deve ter Alan Kardec como parceiro de ataque neste domingo

Muricy Ramalho, que foi muito cobrado por parte da torcida depois do revés para o Corinthians – e reclamou da falta de apoio do presidente do clube, Carlos Miguel Aidar -, testou o repelente na sexta-feira e se mostrou tranquilo com seu momento no clube.

“Turbulência é a coisa mais natural do mundo no futebol, já passei várias vezes”, falou o comandante, depois do treino de sexta, bem mais aliviado do que nas entrevistas anteriores. “Tiro isso de letra, porque é fácil. É um tipo de pressão que a gente não sabe como é, porque não chegam para falar comigo”.

Na partida deste domingo, o treinador optou por poupar quatro titulares: Rafael Toloi, Denilson, Ganso e Luis Fabiano. O zagueiro Dória, por sua vez, fica fora por dores no tornozelo esquerdo. Assim, a dupla de defesa deve ser formada por Lucão e Edson Silva. Já as vagas no meio-campo podem ser ocupadas por Thiago Mendes e pelo argentino Centurión, que não atuou nas duas primeiras partidas da Libertadores por conta de uma suspensão. No ataque, Alan Kardec é o mais cotado para formar dupla com Alexandre Pato.

Se Muricy, invicto e líder de seu grupo no Campeonato Paulista (com 16 pontos ganhos), foi recentemente pressionado por tropeço na Libertadores, Antônio Carlos Buião também atravessa alguma turbulência na competição estadual. O time não vence há três rodadas e vem de derrota em casa para o Mogi Mirim. Integrante da mesma chave do Corinthians, a equipe do interior ocupa a quarta posição, com sete pontos.

FICHA TÉCNICA
RIO CLARO X SÃO PAULO

Local: Estádio Dr. Augusto Schimidt Filho, em Rio Claro (SP)
Data: 1º de março de 2015, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza
Assistentes: Vicente Romano Neto e Fausto Augusto Viana Moretti

RIO CLARO: Richard; Vinícius Bovi, Gilberto, Pitty e Renan Luís; Nenê Bonilha, Nando Carandina, Matheus Galdezani e Guaru; Paulinho e Macena
Técnico: Antônio Carlos Buião

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Bruno, Lucão, Edson Silva e Reinaldo; Souza, Thiago Mendes, Michel Bastos e Centurión; Alexandre Pato e Alan Kardec
Técnico: Muricy Ramalho

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Um comentário em “Passada pressão, São Paulo visita Rio Claro temeroso só com dengue

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*