Para psicólogo, episódio com Ceni foi positivo para Willian José

A polêmica entre Rogério Ceni e Ney Franco em torno da entrada de Willian José no decorrer da partida contra a LDU de Loja poderia ter causado prejuízo ao atacante, já que o goleiroexpôs publicamente que preferia que o escolhido pelo treinador fosse Cícero. Mas, após pouco mais de uma semana, a consequência se mostra outra.

Para o psicólogo João Ricardo Cozac – que trabalhou com o treinador por dois anos no Cruzeiro –, ao ver o comandante comprar  briga com o capitão e maior ídolo atual do São Paulo, Willian José se deu conta de seu valor e ganhou confiança para superar críticas vindas da torcida. Na primeira oportunidade em seguida, anotou os dois gols da vitória por 2 a 0 sobre a Universidad de Chile.

“Certamente a posição de apostar no jogador, mesmo o maior ídolo da equipe pedindo outro atleta, deu uma repercussão emocional muito positiva para ele, que começou a render à altura da aposta”, diz o presidente da Associação Paulista da Psicologia do Esporte, ao lembrar que se trata de um atleta de só 20 anos.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Atacante correspondeu à aposta de Ney Franco e foi decisivo contra La U ao anotar os dois gols do jogo

“A falta de experiência pode ajudar a tornar o atleta vulnerável psicológica e emocionalmente diante de alguns desafios. Isso pode resultar em diversas respostas psicofisiológicas, como o aumento dos índices de ansiedade e, consequentemente, uma redução no poder de concentração. Além da queda de autoestima, autoconfiança, autoimagem”, explica Cozac, também blogueiro da GE.net.

 

Até o fim do ano passado, o São Paulo contava com uma psicóloga e um psiquiatra para auxiliar os jogadores nesse tipo de trabalho. Atualmente sem profissional da área, quem tenta oferecer suporte emocional fora de campo ao elenco é o próprio Ney Franco, com ajuda de seu auxiliar técnico, Éder Bastos. Ambos já conheciam Willian José da Seleção Brasileira sub-20.

“Eles me falam para ter tranquilidade, para não ficar colocando peso na cabeça e continuar trabalhando. Desde a sub-20, o Ney sempre demonstrou confiança em mim. Muitas pessoas eram contra minha titularidade (contra La U, na quarta-feira), mas ajudei a equipe a sair com a vitória”, comenta Willian José, que limitou o desabafo às comemorações ainda no gramado do Estádio Nacional.

Feliz pela reviravolta do companheiro, os jogadores fizeram muita festa no vestiário, logo após o triunfo que encaminhou a classificação para a semifinal da Copa Sul-americana. O camisa 19 levou um banho de água gelada e isotônico, em mais uma prova do quanto é bem quisto e visto como confiável, ao menos pela maioria do grupo.

“Ninguém pode duvidar de um artilheiro nato. A gente sabia que ele poderia dar conta do recado”, ensina o volante Wellington.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*