Para Ney, elenco sabe o que tem de fazer para crescer no Brasileiro

Satisfeito com a entrega mostrada pelos jogadores do São Paulo na marcação na vitória sobre o Figueirense, aos poucos o técnico Ney Franco começa a impor seu estilo de trabalho na equipe do Morumbi. Com apenas duas semanas de trabalho, ele comandou a equipe em três partidas e além do triunfo desse domingo, conquistou um empate (Palmeiras) e sofreu uma derrota (Vasco). Com pouco tempo para treinamento, ele começou consertando o que via de mais urgente.

Agora, com o primeiro resultado positivo, haverá mais tranquilidade para seguir evoluindo na tabela do Brasileirão. Para Ney, o elenco já sabe o que pode e o que não pode mais fazer.

–  Foi apenas a minha terceira partida, mas o grupo já tem nas mãos duas referências: a negativa, que foi a partida contra o Vasco, quando cometemos inúmeros erros e não merecíamos ter vencido e o jogo contra o Figueirense, quando tivemos comportamento completamente diferente, fomos seguros e não demos espaço ao adversário. É dessa maneira que precisamos atuar –  ressaltou o comandante são-paulino.

Se ficou feliz com a pegada, o treinador observou que o setor de criação deixou um pouco a desejar na partida deste domingo. Jadson, única peça de criatividade, novamente teve atuação apenas regular. Além dos gols marcados por Ademilson e Willian José, o time teve apenas uma grande chance desperdiçada, com Willian José, ainda no primeiro tempo. Ney Franco disse que a marcação do Figueirense e as dimensões reduzidas do gramado do estádio Orlando Scarpelli atrapalharam bastante.

–  Falando sobre a criação, a equipe ainda pode evoluir. Mas acho que hoje ela foi dificulta porque o Figueirense marca forte e o campo é um pouco menor do que estamos acostumados. Contra o Cruzeiro, fizemos três gols atuando no 3-5-2. Contra o Coritiba, criamos muitas chances e novamente marcamos três vezes. Na quarta-feira, será outra história porque o campo de Goiânia é muito grande. E isso facilitará a armação – afirmou o treinador.

Para Ney Franco, a evolução virá com o passar do tempo.

–  Estamos colocando coisas novas aos atletas. Mudamos a proposta de jogo e isso leva tempo. Estou usando atletas que estavam sem ritmo de jogo, como o Maicon e o Ademilson. Minha missão daqui para frente é fazer todos os atletas jogarem. Logo mais, vai começar a Copa Sul-Americana e precisarei de todo o grupo – disse.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*