Para Ney, 2º tempo do São Paulo evita sensação de vergonha em Goiás

Os jogadores do São Paulo deixaram o Serra Dourada dizendo-se envergonhados pelo primeiro tempo na partida dessa quarta-feira. Mas Ney Franco discorda. O técnico argumenta que os dois gols marcados na etapa final, sem ter sofrido nenhum, ameniza a sensação deixada pelos 4 a 1 a favor do Atlético-GO antes do intervalo.

“Não sei se a palavra é vergonha. Se não tivéssemos feito o que fizemos no segundo tempo, a palavra seria vergonha”, apontou o técnico. “Não se pode falar que faltou raça, entrega. Jogamos para cima, sufocamos, com possibilidade de procurar o empate no segundo tempo.”

No intervalo, Ney Franco protegeu mais o lado direito da defesa com a improvisação do volante Rodrigo Caio no lugar de Douglas, abdicou do 3-5-2 trocando o zagueiro Edson Silva pelo volante Casemiro, que sofreu pênalti que Jadson converteu logo aos três minutos. Aos 17, Rafael Toloi diminuiu com um golaço, mas a esperança de recuperação do péssimo primeiro tempo não se confirmou no placar, que terminou em 4 a 3 a favor dos goianos.

Rubens Chiri/Site Oficial SPFC

Casemiro cria oportunidade de gol no segundo tempo: volante entrou no intervalo e melhorou a equipe de Ney Franco

“O nosso segundo tempo não cobre os erros do primeiro. Temos que ser realistas. Uma equipe como a do São Paulo, independentemente do adversário e da situação em que está, em casa ou fora, não pode tomar quatro gols. A realidade é essa”, confessou o treinador do Tricolor paulista.

Em meio a exaltações a seus comandados, Ney Franco aponta qualidades no adversário que venceu pela segunda vez neste Brasileiro e só deixou a última colocação por conta dos três pontos somados nesta quarta-feira. “No primeiro tempo, tivemos situações de posse de bola, mas erramos na bola aérea e o adversário teve competência por chegar cinco vezes e fazer quatro gols”, elogiou.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*