Para Hudson, Majestoso no Morumbi é última chance de redenção tricolor

Em cinco clássicos disputados em 2015, o São Paulo perdeu quatro, empatou um e marcou apenas um gol. Nesta quarta-feira, mais um rival entrará no caminho do Tricolor, o Corinthians, algoz já por duas vezes no ano. Devido a esse retrospecto desanimador para a torcida, o volante Hudson pede que os companheiros sigam seu pensamento e tratem o embate, válido pela última rodada do Grupo 2 da Copa Libertadores da América, como o jogo de suas carreiras.

– A gente tem que buscar confiança em nós mesmos para esse jogo. Por mais que não tenha ganhado clássicos, nosso time é feito por excelentes jogadores, de Seleção Brasileira. Teremos um jogo em casa, com apoio da torcida, e tenho certeza que faremos um grande jogo para apagar tudo isso de mal que pensam da gente. Será o jogo do ano, o jogo da minha vida – exaltou.

Uma das principais críticas da torcida contra o Tricolor na temporada tem sido relativa à suposta falta de raça, mas desse mal Hudson assegura que a equipe não padece. O camisa 25 acredita que o maior problema dos são-paulinos está na parte tática e que esse obstáculo poderá ser superado se os torcedores derem mais um voto de confiança para o elenco.

– Sabemos o que precisa, mas às vezes faltam detalhes que causam derrotas, principalmente contra grandes. Temos a obrigação de fazer diferente, de fazer um jogo competitivo, de vencer. Todos têm um objetivo maior, a Libertadores, e anseiam demais esse título. Raça e vontade não faltam. Talvez alguma organização tática, mas vontade não. Acredito que temos uma oportunidade de reverter todas as coisas ruins que estão acontecerndo – projetou.

Hudson ainda confia em outro trunfo do São Paulo: o fato de não depender de ninguém para conseguir a classificação para as oitavas de final da Libertadores. Para isso, basta uma vitória. Em caso de empate no Morumbi, é preciso que o San Lorenzo (ARG) vença o Danubio (URU) por, no máximo, três gols de diferença para que o Tricolor avance.

– A gente joga dentro de casa, com nossa torcida e dependendo só do nosso resultado, então por isso acho que os torcedores precisam nos apoiar mais uma vez. Por mais que seja uma boa equipe, temos que mostrar nosso valor para vencer, e com o apoio da torcida fica mais fácil. Contar com o Danubio não dá de maneira nenhuma! Temos que fazer nosso resultado em casa. Temos que esquecer o Danubio e fazer nossa parte – pediu.

Fonte: Lance

2 comentários em “Para Hudson, Majestoso no Morumbi é última chance de redenção tricolor

  1. Ele tem certa razão. Não adianta vontade se o time está desorganizado em campo, se os jogadores não sabem preencher os espaços, não sabem tomar decisões, como no gol do Geovanio, mas tb não acho impossível que os jogadores não tenham um mínimo de consciência tática pra que eles mesmos não se organizem em campo e tvz essa seja a nossa chance. Lembrar tvz aquele jogo contra o Galo na Libertadores, o último daquela rodada.

  2. Futebol é interessante porque nem sempre dá a lógica, acho que a diretoria deveria pensar seriamente na possibilidade de contratar um palestrante motivacional pra ver se empolga os jogadores pq se for depender de técnica, tática, raça, estamos fritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*