Para Denilson, futuro treinador do São Paulo deveria ser estrangeiro

A maioria dos jogadores do São Paulo prefere não se meter nas conversas sobre a contratação de um novo treinador, mas Denilson foi um dos poucos até o momento que se permitiu ao menos opinar. Nesta quinta-feira, o volante admitiu que, caso busquem alguém para o cargo que está sendo ocupado interinamente por Milton Cruz, sua preferência seria por um profissional estrangeiro.

“Eu prefiro deixar para a direção resolver. Se fosse para trazer um treinador, que seja experiente, que conheça, participe e estude a forma de trabalhar. Na Europa, essa questão de treino tático e técnico são referências. Eu traria um treinador de fora”, disse o jogador, não sem dar apoio ao coordenador técnico que está à frente do time.

“Nem eu nem nós sabemos como vai continuar essa situação. O Milton está dando continuidade ao trabalho que o Muricy (Ramalho) vinha fazendo nos treinamentos. Espero, não só eu como o elenco todo, que, independentemente de quem vier, que continuemos focados no nosso objetivo”, falou o camisa 5.

Entre os treinadores sondados desde a saída de Muricy, o único estrangeiro procurado foi o argentino Alejandro Sabella, que levou a seleção de seu país ao segundo lugar da Copa do Mundo de 2014. Ele pediu muito tempo para dar uma resposta e incomodou o presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, que pôs fim à espera o descartou. O também argentino Jorge Sampaoli, outro candidato, só deixaria o Chile ao final da Copa América, em julho.

Qualquer que seja o chefe no futuro, Denilson espera que contribua em especial com conhecimentos táticos. “Às vezes, nossa equipe joga muito aberta. Sofremos contra-ataques, e isso acaba dificultando bastante”, reconheceu o jogador, sempre preocupado em emendar comentários positivos sobre Milton. “Ele está dando continuidade ao trabalho do Muricy e estamos ajustando isso. Esperamos estar prontos até quarta-feira para fazer um grande jogo”.

Quarta-feira é a data da partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores, contra o Cruzeiro, no Morumbi. Sem pressa para encontrar um treinador, o São Paulo irá a campo mais uma vez com Milton no comando. O jogo de volta, em Belo Horizonte, será em 13 de maio.

3 comentários em “Para Denilson, futuro treinador do São Paulo deveria ser estrangeiro

  1. Denilson vc nao deveria esta jogando mais no sao paulo, a maior parte dos problemas no meio de campo é por sua causa, nao marca direito nao passa bola direito, nao acompanha a jogada, um verdadeiro peso morto, só o Muriçoca e agora o MCC bancar vc no meio de campo como volante, temos coisas melhores no elenco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*