Opinião de São-paulino: pré-jogo para São Paulo x Atlético-GO

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, aqui o espaço é seu. Use-o para criticar, elogiar, comentar, cornetar, enfim, diga o que está esperando para o jogo desta noite, no Morumbi, entre São Paulo e Atlético-GO.

10 comentários em “Opinião de São-paulino: pré-jogo para São Paulo x Atlético-GO

  1. Paulo, sei que o assunto é outro ,mas você sabe informar se realmente só existe o interesse da Penalty e da Mizuno em patrocinar o tricolor?
    Pelo que lí, nem a adidas teria feito proposta ao clube.
    Você não acha que seria regredir com uma dessas marcas mencionadas?
    Abs

    • Amigo, eu gostaria de entender o motivo de não renovar com a Reebock, que não tem deixado a desejar, mas ninguém no clube consegue me explicar isso. Parece segredo de estado. Mas me parece que a Mizuno é mesmo que está mais próximo. Se a qualidade for boa, apesar da marca, não vou entender como regressão. Afinal, a Reebock não era nada antes de fechar com o São Paulo.

      • Paulo, vou contar o que eu sei, pois tenho alguns amigos que trabalham na área.
        A marca britânica Reebok foi adquirida pela Adidas em 2005. Atualmente, no âmbito internacional, a Adidas faz um trabalho para diminuir a exposição da referida marca (tal como a Nike faz com sua marca Umbro), sobrepondo a sua que é mais forte e de certa forma, aproveitando a sinergia oriunda dessa compra.
        A tendência é que marca Reebok só fique em mercados onde ela tem participação muito significativa, como nos Estados Unidos, onde ela patrocina toda a NFL.
        No Brasil, a Reebok é fabricada e representada pela Vulcabras-Azaléia, dona das marcas Azaléia, Olympikus, entre outras. O contrato de representação da marca se encerra no final deste ano e, ao que tudo indica, não será renovado por opção da Adidas.
        O contrato do São Paulo por ser de valor alto possui o aval tanto da Reebok Internacional, quanto da Vulcabrás no Brasil. Não sei exatamente a participação de cada uma no contrato, mas com o fim da parceira Vulcabrás/Reebok no final do ano, alguém teria que bancar essa parte do contrato, caso o São Paulo ficasse, por exemplo, com a Reebok, ou optasse ficar com a Vulcabrás usando a marca Olympikus, que é muito forte no esporte brasileiro.
        Só que, ao que consta, a Vulcabrás não tem interesse em patrocinar o São Paulo, pelo menos, nos mesmos valores do atual contrato com a Reebok.
        Caso o São Paulo fosse ficar com a marca Reebok existe o fato de que a Adidas não tem mais a intenção de divulgar/trabalhar com essa a marca no Brasil. Por ser um mercado teoricamente pequeno em termos de faturamento, ela pretende envidar esforços na marca Adidas.
        Neste contexto, o contrato do São Paulo teria que obviamente ser com a Adidas. Mas aqui pesam dois problemas: um possível mau relacionamento do São Paulo com a cúpula da empresa por problemas no passado e uma cláusula contratual deles com o time da Turiassú, que impede que outro clube no estado de São Paulo seja diretamente patrocinado por eles. Não sei o porquê dessa cláusula, mas a verdade é que o time da Turiassú tem exclusividade com a Adidas, assim como o time da marginal tem com a Nike (a Nike até patrocina outros clubes, mas são contratos feitos pela sua parceira no Brasil, a Netshoes).
        Por fim, sobram, sem problemas, as marcas Penalty, tradicional marca esportiva brasileira da empresa Cambuci, e a Mizuno, no Brasil representada pela Alpargatas.
        Meu palpite é que no final só sobrará a Penalty, já que a Mizuno não tem tradição no futebol.

  2. Paulo Pontes, gostaria de colocar alguns assuntos abaixo para discussão, mesmo sabendo que eles não estão diretamente ligados com a partida de hoje:
    1) Uma absurda denúncia do STJD contra o Luís Fabiano, que pode suspendê-lo por até 6 jogos. Segundo li, esta denúncia seria em virtude de uma suposta simulação de um pênalti no jogo contra o Palmeiras. Pode? Logo o São Paulo, o clube mais vitimado por simulações de seus adversários, pode ser o único clube punido, por essa situação no brasileiro deste ano.
    2) A volta de Lugano ao São Paulo. Segundo notícia veiculada na imprensa hoje, Lugano estaria cada vez mais distante do São Paulo, por ser uma contratação cara em função da idade avançada, e, principalmente, por causa do seu atual nível técnico, que já não é mais o mesmo do passado. Há algum tempo já venho cantando essa bola aqui de que Lugano parece não jogar mais com o mesmo vigor que antes. Tenho acompanhado o Uruguai pelas eliminatórias há um bom tempo e tenho quase certeza de que a decadência do selecionado celeste está diretamente ligada ao atual nível de futebol dos jogadores, como Lugano e Forlan. Não que eles sejam os culpados, pois a verdade é que a seleção é muito dependente desses dois, mas bastou esses dois não jogarem com antes para o time cair de produção. O que fazer neste caso? Não podemos renegar a história de Lugano com a camisa do São Paulo, mas ao mesmo tempo também não podemos fazer loucuras de pagar uma fortuna por um jogador que pode não ser aquilo que foi no passado. Vejamos o caso do Inter, que pagou uma fortuna por Forlan e este não está correspondendo. Entendo esta situação ser muito delicada.
    3) Base são paulina. Comentei isso num post anterior, de que tenho informações de que não há nada de bom na base são paulina, e isso das categorias menores até o sub20. E que não teremos um novo Lucas tão cedo. Conforme me foi passado, este foi um relato de René Simões para a Diretoria. E parece ser verdade pelos atuais resultados dos garotos de nossa base. Como explicar isso? Não era o JJ que falava que teríamos em 2013 um time do São Paulo formado só de garotos de Cotia? Até as promessas recentes como Rodrigo Caio (o rei do cartão vermelho), João Schmidt, Luiz Eduardo, entre outros, foram mandados de volta para Cotia.

    • Regis, bom dia,

      O mote principal deste tópico hoje é o jogo, o que não impede, no entanto, que outros temas sejam trazidos para o debate. Importantes, inclusive, como você está postando.
      TAmbém acompanhei o sub-20 e fiquei muito preocupado com o futuro próximo. Quanto a Lugano, também sou contra loucuras, mas acho que vale a pena tentar. Ele é muito identificado com o São Paulo e isso, por si só, já vale a tentativa. Já a possível suspensão de Luis Fabiano pela tal simulação, seria o absurdo dos absurdos. Neymar, por exemplo, não jogaria mais futebol.

  3. Precisa confirmar o favoritismo. Não pode dar zebra nessa reta final. Tem que correr muito. Não pode achar que vai ser fácil. O Inter foi derrotado por esse time recentemente.

    • Apesar de concordar com você de que não podemos dar moleza ao azar, também temos que considerar que o Inter não é muito parâmetro para comparações, pois ontem conseguiu perder para o Figueirense, que no domingo havia perdido para gente. Aliás, o Inter deixou de ser parâmetro desde do dia que contratou Dagoberto, para mim, o maior desagregador de ambientes que já vi. Dizem que ele e D’alessandro derrubaram Dorival Júnior e há pouco tempo ele conseguiu entrar em rota de colisão como Fernandão. Incrível…
      De qualquer modo, temos que tomar cuidado com o Atlético.

      • Já não é de hoje que somos fregueses do Atl. Goianiense. Vamos abrir o olho e jogar com muita seriedade.

        Se ganharmos hoje, ficaremos apenas 3 pontos atrás do Grêmio e 5 atrás do cavalo paraguaio, Atl. Mineiro.

        Eu cantei a bola para alguns amigos que se o nosso tricolor continuar nessa pegada, vamos acabar em segundo lugar no campeonato.

        Se bem que, se ficarmos em terceiro e garantindo a vaga da Libertadores, já está de bom tamanho, tendo em vista que o campeão será o Fluminense de qualquer maneira. Portanto segundo ou terceiro lugar não fará diferença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*