Ney nega ouvir apelo da torcida e saca Willian José por razão tática

No jogo seguinte à péssima atuação contra o Sport, quando perdeu gols, criou contra-ataques para os adversários, Willian José deixa de ser o substituto de Luis Fabiano para Cícero ser improvisado no ataque. E Ney Franco garante: a opção por um meia em vez do centroavante nada tem a ver com sua declaração de estar “nem aí” para a torcida que o vaiou no domingo, no Morumbi.

“Não tenho interesse nenhum em tomar uma decisão pensando em concordar ou bater de frente com a torcida. Não tenho motivo para isso”, assegurou o treinador ao confirmar Cícero como titular na frente ao lado de Ademilson nesta quinta-feira, contra o Fluminense, em São Januário.

“É uma opção tática. Estudando a equipe do Fluminense, achamos o Cícero interessante pela possibilidade de trabalhar no meio-campo e no ataque. E um pouquinho em relação à parte técnica do último jogo, quando ele entrou bem e com ele criamos jogadas interessantes de fundo e cabeceio”, explicou.

Willian José ouviu exatamente isso do chefe. “A conversa com o Willian José foi muito objetiva, sem rodeio. Ele está muito tranquilo. Coloquei a ele e ao grupo que sua saída é com cunho tático em função do posicionamento do Fluminense. E também é o que converso com o elenco: quem entra e corresponde na parte técnica tem espaço, e o Cícero me atendeu”, explicou Ney.

Com Cícero em campo no domingo, o Tricolor passou a perder menos bola do que nos muitos domínios errados de Willian José e a pressionar mais o Sport, que só não foi goleado porque o goleiro Magrão fez milagres. A bola que Ademilson colocou nas redes para definir a vitória por 1 a 0 veio de um rebote de chute de Cícero, que comemora a volta ao time mesmo publicamente dizendo preferir o meio-campo.

“Sempre procuro trabalhar forte nos treinamentos, fazer o meu melhor a cada dia. Quando você sai da equipe, nunca acha que deve, mas respeitei o momento e a cada jogo tenho mostrado o meu trabalho. Estou em busca desta titularidade novamente para dar sequência na temporada”, comentou Cícero.

Mesmo com a presença no banco de reservas enquanto Luis Fabiano está vetado por estiramento na coxa esquerda, Willian José segue com a confiança de Ney. “Ele vai ficar no banco e, de repente, pode ser o nosso diferencial no segundo tempo”, apostou, avisando que já no domingo, contra o Grêmio, no Morumbi, o atacante terá a chance de provar que realmente não está “nem aí para a torcida”.

“O Willian teve uma colocação que não foi a ideal porque estava em cima de uma pressão muito grande. Está ansioso para jogar bem e permanecer no São Paulo. Se por ventura ele jogar no Morumbi e ganharmos com o gol dele, o mesmo torcedor que foi a campo vaiá-lo vai aplaudi-lo”, projetou Ney Franco.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*