Ney Franco diz que não podia deixar passar o terceiro convite do Tricolor

O namoro entre Ney Franco e São Paulo já era antigo. Quando o clube do Morumbi demitiu Paulo César Carpegiani, pensou-se no então técnico da seleção brasileira sub-20, que não cogitou deixar a CBF. Após a demissão de Adilson Batista, a situação se repetiu. Na terceira vez, agora com a saída de Emerson Leão, o mineiro de 45 anos reconheceu que não poderia deixar a chance passar. E por isso, após uma conversa com o presidente José Maria Marin, deixou seu cargo na seleção e fechou com o clube do Morumbi. Sua apresentação oficial será na próxima segunda-feira, ao meio-dia, no CT da Barra Funda.

– Após um ano e seis meses na CBF, já havia percebido que o trabalho que comecei a fazer tinha sido bem estruturado. Foi a terceira tentativa do São Paulo e, dessa vez, de maneira bem mais contundente. Não podia deixar passar. Logo depois que o Leão saiu, falei com telefone com o Adalberto (Baptista, diretor de futebol), enquanto que o Juvenal falou com o presidente Marin para que pudesse me desligar sem problemas – afirmou o treinador, em entrevista à rádio Bandeirantes.

O curioso é que Ney Franco já havia sido consultado sobre reforços mesmo com Emerson Leão ainda trabalhando na equipe do Morumbi.

– Há tempos, quando conversamos, eles perguntaram o que eu achava do Rafael Toloi, zagueiro que foi contratado. Tive o cuidado de ligar para o Enderson Moreira para conversar e não tenho dúvida de que ele vai dar um retorno técnico muito bom. É um jogador interessante – ressaltou.

Emerson Leão, durante os oito meses em que trabalhou na equipe do Morumbi, sofreu com a interferência da diretoria de futebol. Após a eliminação no Campeonato Paulista para o Santos, o presidente Juvenal Juvêncio, inclusive, resolveu afastar o zagueiro Paulo Miranda, mesmo contra a vontade do técnico. Ney Franco, no entanto, não mostra preocupação com isso.

– Estou indo para exercer minha função de treinador. É preciso ter diálogo com todas as áreas, mas a decisão final será sempre minha. Isso não me preocupa e tenho certeza de que meu trabalho será bem desenvolvido. Costumo fazer trabalhos longos na minha carreira e sempre me relacionei bem com dirigentes. Não tem como ser diferente no São Paulo – disse.

Para fechar, Ney Franco assume um time que não ganha títulos desde 2008, o que deixou o torcedor muito impaciente. Mesmo assim, o novo comandante acredita que poderá fazer um bom trabalho.

– Em termos de cobrança, posso dizer que estou bem preparado. Chego com a expectativa de fazer um bom trabalho, ganhar títulos e revelar outros grandes jogadores para o clube – finalizou.

Fonte Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*