Ney Franco abre possibilidades no esquema, mas grupo quer definições

Lucas até já estreou pelo Paris Saint-Germain, mas seu espaço no time titular do São Paulo ainda não foi totalmente preenchido. Adepto declarado de um esquema ofensivo, o 4-3-3 que fez a equipe vencer a Sul-americana em 2012, otécnico Ney Franco testa peças e variações táticas durante os treinamentos coletivos e os jogos-treinos, sem ainda ter definido a formação titular e, mais do que isso, o estilo de jogo da equipe.

Além do 4-3-3, o técnico testou até mesmo o 3-5-2 durante um amistoso preparatório contra o Red Bull Brasil, na última quarta-feira, tendo deixado em aberto a maneira de utilização dos meias Paulo Henrique Ganso e Jadson. Para o atacante Luis Fabiano, que concedeu entrevista coletiva no penúltimo dia de pré-temporada, antevéspera da estreia no Campeonato Paulista, o tempo é realmente limitado, mas o time já precisa estar tinindo até sábado.

“Temos que encaixar uma maneira de jogar rápido. Jogo-treino serve para desenvolver mais um trabalho físico, porque 15 dias é pouco para ter já formação tática. O treinador está fazendo testes, para a estreia não vamos estar 100%, mas temos condição de ir bem, porque quarta-feira temos um jogo decisivo”, alertou o camisa 9, fazendo referência ao primeiro jogo da pré-Libertadores: “Esse é o pensamento: não estamos 100% fisicamente, mas temos que estrear bem porque precisamos de uma grande vitória na estreia e um grande resultado na Bolívia”.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Ney Franco ainda estuda a melhor maneira de escalar Jadson: aberto como atacante ou centralizado como meia

Luis Fabiano deixou nas mãos de Ney Franco, mas fez questão de garantir que é possível manter o time com três atacantes em 2013, mesmo após a saída de Lucas. As opções seriam Jadson, que seria obrigado a desempenhar uma função diferente e já foi testado no setor, além dos recém –contratados Wallyson e Aloísio. O primeiro se apresentou ao clube apenas no último sábado, enquanto o outro veio ao Figueirense para ser justamente seu reserva.

“Eu acho que existem jogadores que podem fazer essa função, mas diferentes do Lucas. Existem jogadores com facilidade pelo meio como o Jadson, que poderia jogar aberto, acompanhar o lateral como o Lucas, mas sem a bola jogar perto dos atacantes, aí seria diferente. Mas se o treinador achar que não existe essa possibilidade, aí não tem o que falar. Existem peças, até o Wallyson e o Aloísio, que poderiam ter certa adaptação no setor, mas aí é coisa do treinador”, sugeriu Luis Fabiano, à vontade e com intenção de superar os 31 gols de 2012 em qualquer um dos esquemas.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*