São Paulo quer dar início às obras do Morumbi ainda em janeiro

O São Paulo acerta os últimos detalhes para dar início à reforma do Morumbi nas próximas semanas e começar a parte mais significativa da modernização do estádio que, para a diretoria, vai se tornar uma das mais importantes fontes de renda nos próximos anos. Para isso, alia as obras da cobertura e da arena de shows à expectativa dos primeiros resultados do novo programa sócio-torcedor.

Assim como o São Paulo, outros 14 clubes do Brasil agora participam de do programa sócio-torcedor gerido pela Ambev, lançado no sábado. Ao Morumbi, os primeiros resultados trouxeram esperança e grande expectativa. Seis dias após o início, o São Paulo já conta com mais de 6 mil adesões segundo a diretoria. O número é quase o mesmo que o São Paulo acumulava de ativos no fim de 2012, antes da reformulação do programa: 8 mil.

– O clube que se organizar para a recepção desse cidadão acho que terá um êxito forte. Essa nova empreitada de um movimento pelo futebol vai trazer esse cidadão para o clube. Esperamos, e sem falácia, 200 mil torcedores – disse ontem o otimista presidente Juvenal Juvêncio, no Morumbi.

E para que possa levar ao estádio todos esses torcedores, o clube fecha os últimos pontos para começar as obras. São Paulo, Andrade Gutierrez, que tocará a reforma, e a XYZ Live, que vai gerenciar a arena, firmaram no fim de 2012 contrato de financiamento com o Banco BTG Pactual. O fundo foi protocolado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), e deve ser aprovado até a metade de fevereiro. O clube diz que conseguirá começar as obras mesmo sem os recursos financiados até o fim de janeiro.

A reforma custará pouco mais de R$ 300 milhões, bancados pelos parceiros, que vão explorar a arena. A previsão de conclusão é de 18 meses. Hoje, o São Paulo recebe a Andrade Gutierrez no Morumbi, para planejar as mudanças de funcionários do setor onde será construída a arena. O canteiro de obras deve ser instalado nos próximos dias, perto ao portão 1.

Últimos dias das cadeiras azuis

Depois de concluir as trocas de todas cadeiras superiores, resta apenas o setor intermediário azul receber os novos assentos de cor vermelha. Em seu discurso de ontem, o presidente Juvenal Juvêncio avisou que as últimas antigas serão substituídas já nos próximos dias:

– Queria aproveitar para dizer da modernidade desse estádio. É possível verificar hoje o volume de troca de cadeiras. Só na arquibancada, 42 mil. Na intermediária, não sei quantas. Ontem, início da instalação de mais 10 mil cadeiras vindas do México. As azuis desaparecem nesses 15 dias. O Morumbi será todo de uma cor só, cor vermelha.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*