Na cidade de mitos, Ceni pode garantir o São Paulo na semifinal

A cidade de Medellín está acostumada a fazer festa em cima de diversas figuras mitológicas que alimentam o imaginário de seus animados habitantes. Mas, na noite desta quarta-feira, boa parte desses cidadãos vai chorar se um mito de carne e osso mostrar sua força no simpático Estádio Atanásio Girardot. Torcedor do Atlético Nacional, muito cuidado: Rogério Ceni está na área!

Confirmado para realizar seu jogo de número 1113 com a camisa do São Paulo, o mito tricolor é uma arma altamente respeitada por onde passa e não seria diferente diante de um povo que sabe tão bem como cultivar figuras como estas.

Todo ano, geralmente no dia 7 de dezembro, a cidade é palco do Desfile e Festival de Mitos e Lendas de Medellín. Um dos mais tradicionais da cultura local, o evento abre as celebrações natalinas trazendo figuras como El Sombrerón (O Sombrero), La Madre del Agua (Mãe D’água) e El Cura Sin Cabeza (O Padre sem cabeça). Nenhuma, porém, impõe tanto medo quanto o goleiro brasileiro, que pode ser decisivo para levar o Tricolor às semifinais da Copa Sul-Americana. Haja inspiração!

Se Rogério não tomar gol no embate, que acontece às 18h50 local (21h50 de Brasília), o São Paulo elimina a equipe da casa e dá um passo enorme rumo ao bicampeonato da competição continental, já que venceu o primeiro jogo por 3 a 2, na semana passada, no Morumbi.

A proximidade de mais um título, por si só, já serve de motivação para o camisa 01. E manter-se vivo na competição é adiar a despedida de jogos internacionais, já que o goleiro ainda trabalha com a ideia de pendurar as chuteiras no fim deste ano.

Fato é que, provavelmente, esta deve ser a última passagem de Rogério Ceni pela Colômbia. Na próxima fase, o São Paulo poderia cruzar com Deportivo Itagui, mas os colombianos perderam o primeiro jogo por 2 a 0 para o Libertad (PAR) e se complicaram no torneio.

Sendo assim, os cerca de 45 mil torcedores que vão ao estádio estarão diante de uma oportunidade única. De ver um mito de verdade e já ir se preparando para os festejos do mês que vem. De preferência, com choro no olhar.

Irreverente e polêmico, Higuita é o mito local

Se a torcida do São Paulo tem Rogério Ceni, a do Atlético Nacional orgulha-se de René Higuita. O ex-goleiro do clube e da seleção colombiana já fazia gols antes de Ceni começar a cobrar faltas. Encerrou a carreira em 2010 com 41 tentos.

Higuita construiu grande trajetória no Nacional e liderou o time em sua conquista mais importante, a Libertadores de 1989. Na de 1995, fez gol contra o River Plate na semifinal, mas perdeu o título para o Grêmio.

Chamou a atenção do mundo com suas peripécias pela Colômiba. Na Copa do Mundo de 1990, entregou a bola ao tentar sair jogando contra Camarões e acabou eliminado. Em 1995, num amistoso contra a Inglaterra, em Wembley, executou a defesa do escorpião, quando defendeu com os pés após a bola passar sobre sua cabeça.

Ele fez sua despedida no palco da partida desta quarta-feira com a presença de 25 mil pessoas. Ele está com 47 anos e trabalha nos Emirados Árabes como preparador de goleiros.

Com a palavra, Jose Agustin Martinez, repórter da Rádio RCN (COL):

“O estádio Atanásio tem muitas histórias, mas é claro que Ceni dará um toque especial em sua história. Lá eu também vi outro grande sucesso, de estilo semelhante, corajoso e aventureiro, que nasceu nas entranhas de Medellín: Higuita.

O estádio estará cheio, não só para apoiar o Verde, mas para admirar o futebol brasileiro. Se o Mito não voltar a jogar internacionalmente, o Atanásio Girardot e Medellín estarão na história.”

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*