Muricy, saída de Kaká, transição lenta… Tricolor procura causas da crise

Jogadores, comissão técnica, diretoria e conselheiros do São Paulo discutem os motivos da crise instaurada no clube. Conturbado apenas politicamente no início do ano, o Tricolor viu o momento ruim também afetar o futebol. Os motivos apontados internamente são variados e mostram como o time do Morumbi está dividido sobre quais as reais causas da fase turbulenta. Confira abaixo, em tópicos, as razões citadas nos bastidores.

TRABALHO DE MURICY

O bordão que consagrou Muricy Ramalho agora virou motivo de questionamento. A principal queixa é sobre a fragilidade tática do Tricolor, visto como desorganizado por diversos setores do clube, incluindo parte dos jogadores, descontentes com a falta de padrão e as constantes mudanças. Os métodos de treinamentos também são contestados. Muricy reconheceu que agora, no fim de março, ainda busca um time ideal. Por isso, adiantou que fará trocas na equipe titular. Isso depois de colocar o cargo à disposição da diretoria, mas ser convencido pelo vice de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, e até pelo goleiro Rogério Ceni de que não era a hora de sair. As escolhas do treinador também são contestadas, como a substituição de Pato no Choque-Rei, e a falta de chances para garotos como Auro e Boschilia diante dos rendimentos de Bruno e Ganso, lateral e meia respectivamente.

SAÍDA DE KAKÁ

Kaká despedida (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)Kaká tinha boa relação com jogadores e comissão técnica do São Paulo (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

A transferência do ídolo do São Paulo para o Orlando City, em dezembro, era de conhecimento geral. Mas quatro meses depois do desligamento, a ausência do jogador ainda é sentida e apontada como uma das causas da crise. Muricy exalta principalmente a contribuição de Kaká como um líder fora de campo. Mas internamente também há o entendimento de que ele funcionava como uma espécie de treinador dentro do gramado. Além disso, afirma-se no clube que ele dava mais rapidez e qualidade na saída de bola do time.

TRANSIÇÃO LENTA

Elenco São Paulo treino São Paulo (Foto: site oficial / saopaulofc.net)Jogadores do São Paulo sabem que precisam melhorar de rendimento para tirar o time da crise nessa temporada (Foto: site oficial / saopaulofc.net)

Para tornar o São Paulo mais dinâmico com a bola, o time precisa de passes mais velozes e objetivos na transição das jogadas. Ou seja, toques mais rápidos, “verticais” e menos “de lado”. Essa é a conclusão de quem está dentro de campo. Nesse caso, o problema apontado não é atribuído a Muricy, mas sim aos próprios atletas. Os jogadores do Tricolor, inclusive, reconhecem que precisam melhorar de rendimento para mudar a fase do time. A esperança para melhorar esse quadro é Wesley, que terá condições de jogo a partir das quartas de final do Paulista.

BLINDAGEM EXCESSIVA

Ct São Paulo (Foto: Marcelo Prado)Blindagem ao CT da Barra Funda é motivo de elogios e críticas no clube (Foto: Marcelo Prado)

Ataíde Gil Guerreiro não gosta da interferência de outros departamentos no seu trabalho. O dirigente, alinhado com Muricy, é elogiado no CT da Barra Funda por blindar elenco e comissão técnica. Mas isso também é motivo de críticas internas a ele, pois existe a impressão de que esse ambiente deixa jogadores e comissão acomodados pelo que é chamado de excesso de blindagem. Nesse raciocínio, o local de treinamentos é visto como uma ilha intocável, onde há frieza e desconexão com a realidade.

DIRIGENTE BOLEIRO

Edu Gaspar corinthians e gustavo vieira de oliveira São Paulo (Foto: Martin Fernandez)Edu Gaspar, gerente do Corinthians, é citado em comparação com Gustavo Vieira de Oliveira, profissional do São Paulo (Foto: Martin Fernandez)

Uma crítica entre os conselheiros do São Paulo é sobre o que consideram um “buraco” entre diretoria e elenco. Eles sentem a falta de uma figura como o ex-dirigente Marco Aurélio Cunha para fazer a aproximação entre cartolas e atletas. Tal função poderia ser atribuída ao diretor de futebol Rubens Moreno, outro que tem papel questionado no clube. Em comparação com o rival Corinthians, citam o exemplo do gerente Edu Gaspar, mais misturado com o elenco, do que Gustavo Vieira de Oliveira, gerente Tricolor com perfil executivo e menos ligado aos atletas.

 

Fonte: Globo Esporte

4 comentários em “Muricy, saída de Kaká, transição lenta… Tricolor procura causas da crise

  1. Faltas de treinamentos adequados, vergonha na kara, incompetencia da
    comissa’o tecnica, da kartolagem e principalmente desses
    jogadorekos que se acham craques.
    murici, demorou pra largar o osso,
    na’o hexiste culpado maior que voce,
    que tambem nos enganou quando seguidamente dizia
    “Aqui e’ traballho, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkarajo ”
    Perdeu a credibilidade ate’ minha que acreditei em algum momeno
    no seu incrivel na’o trabalho.

  2. Eu acho que Muricy vai conseguir superar esta fase e acertar o time , pois o elenco é bom e tende a melhorar. Já vimos elencos melhores que esse no papel e que não renderam de imediato como se esperava. Confio em Muricy mesmo sendo um pouco teimoso em certas horas.

  3. A continuar nessa toada, em 2017 ainda vão estar chorando a falta do Kaká que, filho pródigo, abandonou os seus. Lembro que o Kaká, ao se despedir do futebol brasileiro, comentou sobre a fraqueza dos treinamentos no Brasil ( será que tinha alguma coisa implícita???).

    • Paulo, tenho um conceito adquirido atraves dos tempos que o que ajudou
      a acabar com nosso ex rico futebol, foram as escolinhas que proliferaram
      por ai a fora cheias de fessores e muita coisa errada.
      A parte fisica ainda e’ admissivel nos clubes de primeira e segunda linha,
      mas a parte tatica,
      e’ mesmo deprimente, principalmente no nosso time, inexiste.
      Falta estudo e aplicaco’es em comparaca’o com outros esportes coletivos tipo voli, basquete,
      andebol. Sendo um paiza’o ja’ e’ o suficiente para administrar o ego de umas
      50 ou pessoas envolvidas nesses contexto, enta’o falta tempo para treinamentos
      especificos. Ou administra egos ou parte para um trabalho tipo Tite, que seria
      o certo, e trabalhe mesmo e deixe os mimimis para psicologos e terapeutas,
      na’o da mesmo para fazer tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*