Muricy Ramalho diz que vitória se deu pela confiança passada aos jogadores

Muricy Ramalho considera que o São Paulo ganhou o jogo do Grêmio, neste domingo, no momento em que ele resolveu manter o time titular que foi derrotado pelo Fluminense, no meio de semana, por 5 a 2. A única mudança foi a volta de Douglas na vaga de Paulo Miranda.

– Dei confiança a eles. Como falta pouco para eu parar, não tenho que agradar ninguém. Quero nem saber. Disse: “Vão jogar vocês”. Só saiu o Paulo porque o Douglas é titular e precisávamos de um lateral que sai. “Vai jogar todo mundo, não se preocupem, aqui não tem essa”. Por isso vieram com confiança para o jogo. Se tiro dois ou três, passaria a responsabilidade para eles, mas aqui perde todo mundo. Técnico tem que ter essas coisas. É muito tempo na profissão – disse, exaltando sua experiência.

O Tricolor paulista venceu o Grêmio por 1 a 0 com um gol de bola parada marcado por Lucão. O treinador elogiou a força do Grêmio e comemorou a volta por cima da equipe.

– Acho que o jogo foi muito equilibrado. Depois de sair daquele resultado ruim que foi na quarta, o que preocupava era o pouco tempo para recuperar o time. Conversamos muito com os jogadores. Teríamos um jogo duríssimo, o Grêmio é um dos melhores times fora de casa. Felizmente, o time se portou bem e ganhou – festejou.

Veja os principais tópicos da entrevista coletiva de Muricy:

Luis Fabiano
– Falo muito com o Luis por causa dos cartões. Se toma, como contra o Fluminense, ele para de jogar. Hoje, ele brigou o tempo todo, não deu sossego. O bandeira estava muito ligado, fiquei na cabeça dele, dizendo que os dois (Luis Fabiano e Bressan) estavam só discutindo. Precisa falar o tempo todo ou então ele perde a cabeça. Mas ele está muito melhor, nos ajudando muito.

Lucão
– Estamos formando um atleta, não podemos tirar a confiança dele. O gol contra não foi culpa dele. Foi uma falha total, a bola passou, e ele não estava esperando. É um jogador muito jovem. Não é fácil marcar o Barcos.

Possível saída de Lucão
– Eu só não aceito que venham dar palpite no meu time. Mas temos esse problema com ele. Conversei com a diretoria para ver se poderia colocá-lo. Estou fazendo um jogador para outros (clubes). A lei é complicada. É um absurdo. Achei a atitude da diretoria correta. Ela poderia deixá-lo em Cotia por não renovar. Eu não quero saber, penso na carreira do garoto. O dia que for para outro clube, tomara que eu tenha feito algo por ele.

Planejamento
– Todo mundo está com o mesmo pensamento, de estar perto das primeiras colocações. Precisamos ter tranquilidade pra treinar nessa pré-temporada fora do país. Difícil falar de números. No Brasileiro tem de ganhar fora também. Precisamos estar no bolo quando acabar essa fase.

Time ansioso
– Eles são muito afoitos. Faltava pouco tempo, e ainda saiu uma bola longa. Nossos zagueiros precisam encurtar mais o campo. Às vezes, falta um pouco de experiência para os nossos jogadores.

Reação após goleada para o Fluminense
– É simples: o técnico precisa dar confiança, como eu fiz. Quando toma de cinco, o que um técnico inexperiente faz? Sai você, sai você, sai você. Falta pouco para eu parar. Faço o que eu quero. O certo era fazer isso para agradar “fulaninhos”. Eu não agrado ninguém. Só falei que jogaria o Douglas porque é titular e precisava de um lateral para sair para o jogo.  É fácil passar responsabilidade para eles.

Dificuldades sem Maicon, suspenso
– As pessoas assistem outro jogo. É um jogador que no scout e no quilômetro percorrido é um absurdo. Mas não se analisa isso. Temos um jogador com características parecidas, que é o Hudson, um segundo volante que sai para o jogo.

Elenco maior
– Para o Brasileiro, precisamos ter. Hoje, só um treinou no CT, o Alan Kardec. Os 21 que tínhamos estavam aqui. Não temos nenhum contundido, isso também é difícil.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*