Muricy explica seus problemas de saúde: “Não suporto coisa errada”

Multicampeão como técnico de futebol, Muricy Ramalho fez uma observação da própria carreira. Relembrou o caminho que percorreu para ser apontado como um treinador de ponta no Brasil e fez uma ponderação ao falar dos altos salários dos técnicos. O comandante do São Paulo afirmou que “não suporta coisa errada” e que já pensou em parar “várias vezes” .

– Não suporto coisa errada, não tenho cintura. Se o cara vacilar, não quero saber não. Não tenho esse negócio de aguentar coisa errada pelo meu salário. Não aguento não, vou embora. Já fiz isso em clubes grandes e ganhando muito dinheiro. Por isso eu sofro muito, tenho esses piripaques de vez em quando. E pensei várias vezes em parar. As coisas têm que ser mais corretas – afirmou Muricy.

Em janeiro deste ano, o técnico do São Paulo precisou ser internado, por conta de uma diverticulite. No último dia 9, teve que se ausentar novamente, para um exame. Em setembro do ano passado, sofreu uma arritmia cardíaca durante a partida contra o Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro.

Muricy Ramalho abre o coração sobre a carreira de técnico (Foto: Reprodução SporTV)Muricy Ramalho abre o coração sobre a carreira de técnico (Foto: Reprodução SporTV)

O técnico revelou que a carreira, embora renda bons salários, também reserva momentos nada glamorosos. Muricy contou que não pôde acompanhar o enterro do pai por estar distante, e que apesar do dinheiro ganho mensalmente, o treinador “não tem uma vida normal”.

– Não vi meu pai ser enterrado. Ele morreu e eu estava longe, não consegui chegar. São coisas que as pessoas do futebol não sabem, que o técnico passa como ser humano. Não têm ideia. Falam que o cara ganha bem. Mas para eu chegar aqui foram mais de 20 anos (…) E não se tem uma vida normal como as pessoas têm. A gente não tem sábado, não tem domingo, não tem aniversário, não tem feriado, não tem nada – disse.

Só como técnico, Muricy possui uma longa lista de títulos. Entre os principais estão quatro Campeonatos Brasileiros, três com o São Paulo (2006, 2007 e 2008) e um com o Fluminense (2010), além de uma Taça Libertadores com o Santos (2011). Mas tudo começou em 1994, quando o treinador se sagrou campeão da Copa Conmebol dirigindo o Tricolor do Morumbi. O sucesso até lhe rendeu um convite da Seleção, em 2010, mas que o treinador rejeitou.

– Lembro de ganhar uma coisa muito difícil, mas muito difícil. E aí fortalece, quer ir atrás desse gosto da vitória. Então quando tem a primeira vez, não se esquece. Quer essa sensação toda hora, é tipo uma droga que quando você ganha, se sente bem. Ralei muito para chegar aqui, poucos chegam. É uma vida boa. Mas para chegar é muito duro, a cobrança é dura demais. Você passa a ser o seu único responsável, passa a ser o único cara que erra – desabafou.

O jornal “El Economico”, do México, pesquisou os clubes que mais demitiram treinadores desde 2002 nas 10 ligas mais importantes do mundo. Entre os 10 primeiros colocados, há sete brasileiros. O líder é o Fluminense, com 41 demissões no período. A média de permanência de um técnico no futebol brasileiro é de apenas quatro meses ou 15 jogos, ainda segundo a publicação.

 

Globo Esporte

5 comentários em “Muricy explica seus problemas de saúde: “Não suporto coisa errada”

    • Na’o quero saber de politikalha, pois a maioria sabem do meu posicionamento
      quanto a esse tema.
      Porem, quanto a parte tatica sr murici kkkarajo, o sr. na’o tem que questionar
      so’ o argentino por segurar demais a bola dando seus dribles, ou preparando
      videos para o mesmo delirar de suas proezas, lembra-se do Canete da uma
      olhada em seus jogos pelo Bernardo, ou mesmo do Palito pelo Estudiantes,
      ou mesmo do Boschila nos treinamentes se e’ que tem, ou mesmo nos jogos em que entra. Poderia tambem passar ao menos o ultimo jogo dos travekkkos
      contra o Capivariano e veja o possicionamento dos volantes, principalmente,
      depois os overlapings dos alas e as movimentaacoes dos atacantes e
      principalmente dos meias.
      Ai, sim o sr. estaria contribuindo para termos um time mais responsavel,
      dedicado e afinado dentro de campo de acordo com sua cobranca
      para com os estrangeiros. Cobranca para todos inclusive para seu luisito pipokkka
      o protegido, e que faz realmente o que bem entende dentro do gramado.

      – Achava que política era só ladrão e sacanagem. E acertei – disse Romário em entrevista que está publicada na edição de abril da revista.
      Pra mim tambem, e mais politicos = kkkartolagem
      sai dessa Romario, voce na’o precisa disso.

  1. Se ele não suporta coisa errada e pede as contas e, na opinião dele, está tudo errado no São Paulo, até fica doente por causa disso, por que cargas d’água ainda não se demitiu?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*