Modernização do Morumbi fica ‘mais cara’ clube explica

Em evento realizado na manhã desta terça-feira no Salão Nobre do Morumbi, o São Paulo recebeu, das mãos do prefeito  Gilberto Kassab, o alvará de aprovação para o início das obras de modernização do Cícero Pompeu de Toledo.

O projeto, que conta com parceria da construtora Andrade Gutierrez, envolve: a cobertura das arquibancadas, a reforma do Memorial do clube e a construção de um espaço para shows e eventos corporativos com 25 mil lugares (que será administrado pela empresa de entretenimento XYZ Live), além de um edifício-garagem e um hotel.

– Onde vamos arrumar dinheiro para isso? Só a cobertura custa R$ 300 milhões. Os recursos serão nossos e da inteligência de nossos parceiros. Dos cofres do São Paulo e do poder público, não sairá nada – disse o presidente Juvenal Juvêncio.

No entanto, os custos citados pelo mandatário do Tricolor na cerimônia são totalmente diferentes dos divulgados anteriormente, quando o São Paulo anunciou que gastaria aproximadamente R$ 120 milhões no projeto da cobertura.

Diante da grande diferença, a reportagem do LANCENET! entrou em contato com o assessor da presidência são-paulina, José Francisco Manssur, que procurou esclarecer a discrepância entre as cifras anunciadas por Juvenal e, antes, pelo clube.

– São R$ 308 milhões todo o projeto, envolvendo o hotel. Antes, quando o Juvenal falou (sobre os R$ 120 milhões), não envolvia o hotel, o Memorial – declarou Manssur.

Ainda, o Tricolor divulgou também o prazo para o término das obras da cobertura e da arena para shows, estipulando 18 meses assim que o processo for iniciado.

De acordo com Manssur, a ideia é tentar alinhar todo o projeto simultaneamente, mas crê ser difícil.

– Esses 18 meses de prazo servem para a cobertura e a arena, até porque não conseguimos ter uma previsão de início do hotel, do edifício garagem. Estamos com a Andrade (Gutierrez) para tentar sincronizar isso, mas não dá para prever – completou o assessor da presidência.

A reportagem também tentou entrar em contato com a própria Andrade Gutierrez, mas a assessoria da empresa afirmou que a questão de valores é tratada com o clube.
Para viabilizar o hotel, o Tricolor terá de aguardar ainda uma autorização do governo, conforme explicou o vice-governador do estado e são-paulino, Guilherme Afif Domingos, na cerimônia:

– Hotel já é outro aspecto, pois mexe no plano diretor da cidade. Mas contem com o nosso esforço – declarou Afif, otimista com o desfecho.
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*